sábado, 30 de dezembro de 2017

Poesia portuguesa - 087




Ano Novo
Fernando Pessoa (1888-1935)

Ficção de que começa alguma coisa!
Nada começa: tudo continua.
Na fluida e incerta essência misteriosa
Da vida, flui em sombra a água nua.
Curvas do rio escondem só o movimento.
O mesmo rio flui onde se vê.
Começar só começa em pensamento.

Fernando Pessoa (1888-1935)