domingo, 27 de fevereiro de 2011

Provérbios de Março

MARÇO - Iluminura (10,8x14 cm) do “Livro de Horas de
D. Manuel I” [Século XVI (1517-1551)], manuscrito com
iluminuras atribuídas a António de Holanda, conservado
no Museu Nacional de Arte Antiga. Pintura a têmpera e
ouro sobre pergaminho. 
 
A água de Março é pior que nódoa no pano. - A geada de Março tira o pão do baraço e a de Abril nem ao baraço o deixa ir.
- A vinte e dois de Março ouga o pão com o mato, a noite com o dia, a erva com o sargaço, a fome com a barriga e a merenda do pastor nunca chega ao meio-dia.
- Agua de Março é pior que nódoa no pano.
- Água de Março pior é que nódoa no fato.
- Água de Março, no princípio ou no cabo, só que molhe o rabo do gato.
- Água de Março, pior é que nódoa no pano.
- Água de Março, quanta o gato molhe o rabo.
- Aí vem meu irmão Março, que fará o que eu não faço.
- Antes a estopa de Abril, que o linho de Março.
- Bodas em Março, é ser madraço.
- Cavas em Março e arrenda pelo São João (24/6), todos o sabem e poucos o dão.
- Cavas em Março e arrenda pelo São João (24/6), todos o sabem, mas poucos o dão.
- Dia de Março, dia de três ventos.
- Em 25 de Março, se o cuco não se ouvir, ou é morto ou não quer vir.
- Em Março espetam-se as rocas e sacham-se as hortas.
- Em Março espiam-se as rocas e sacham-se as hortas.
- Em Março o pão com o mato, a noite com o dia e o Pedro com a Maria.
- Em Março o sol rega e a chuva queima.
- Em Março ouga a erva com o sargaço.
- Em Março ouga a noite com o dia e o pão com o sargaço.
- Em Março queima a velha o maço para aguentar o pernaço.
- Em Março queima a velha o maço.
- Em Março, a três e a quatro.
- Em Março, aquece cada dia um pedaço.
- Em Março, cada dia chove um pedaço.
- Em Março, chove cada dia um pedaço.
- Em Março, cresce cada dia um pedaço.
- Em Março, de manhã pinga a telha e à tarde sai a abelha.
- Em Março, deita-te um pedaço.
- Em Março, esperam-se as rocas e sacham-se as hortas.
- Em Março, igual o trigo com o mato e a noite com o dia,
- Em Março, liga a noite com o dia e a noite com o sargaço.
- Em Março, merenda o pedaço; em Abril merenda o merendil.
- Em Março, merendica e folgaço.
- Em Março, nem migas, nem couves, nem esparto.
- Em Março, nem rabo-de-gato molhado.
- Em Março, o pão com o mato, a noite com o dia e o Pedro com a Maria.
- Em Março, o que dormes, o que eu faço.
- Em Março, o sol rega e a água queima.
- Em Março, onde quer eu passo.
- Em Março, onde quer passo.
- Em Março, onde quero eu passo.
- Em Março, queima a velha o maço.
- Em Março, rebenta a erva nem que lhe dês com um maço.
- Em Março, tanto durmo como faço.
- Em tardes de Março, recolhe teu gado.
- Em vinte cinco de Março, se o cuco não se ouvir, ou é morto ou não quer vir.
- Entre Março e Abril o cuco há-de ouvir.
- Entre Março e Abril o cuco há-de vir.
- Enxame de Março apanha-o no regaço.
- Inverno de Março e seca de Abril, deixam o lavrador a pedir.
- Janeiro geoso, Fevereiro nevado, Março frio e ventoso, Abril chuvoso e Maio pardo, fazem o ano abundoso.
- Janeiro geoso, Fevereiro nevoso, Março mulinhoso, Abril chuvoso, Maio ventoso, fazem o ano formoso.
- Lá vem o irmão Março, que não deixará ovelha, nem farrapo, nem o pastor se for fraco.
- Lua cheia em Março trovejada, trinta dias é molhada.
- Março amoroso faz o ano formoso.
- Março amoroso, Abril chuvoso, Maio ventoso, São João (24/6) calmoso, fazem o ano formoso.
- Março amoroso, Abril ventoso, Maio remeloso, fazem o ano formoso.
- Março baço, a noite com o dia, o pão com o sargaço.
- Março chove cada dia o seu pedaço.
- Março chuvento, ano lagarento.
- Março chuvoso, São João (24/6) farinhoso.
- Março de ano bissexto, muita fome e muito mortaço,
- Março duvidoso, São João (24/6) farinhoso.
- Março frio ou molhado, enche o celeiro e farta o gado.
- Março leva a ovelha e o farrapo e o pastor se ele é fraco; o cão escapará ou não.
- Março liga a noite com o dia, o Manel c’oa Maria, o pão com o mato e a erva com o sargaço.
- Março liga a noite com o dia, o Manel co'a Maria, o pão com o pato e a erva com o sargaço.
- Março mal quando molha o rabo ao gato, se de Fevereiro ficou farto.
- Março marçagão de manhã cara de cão, ao meio-dia de rainha e à noite de fuinha.
- Março marçagão, cura meadas, esteiras não.
- Março marçagão, de manhã cara de anjo, à noite cara de ladrão.
- Março marçagão, de manhã cara de cão, à tarde cara de rainha, e à noite cava com a foucinha.
- Março marçagão, de manhã cara de cão, ao meio-dia cara de rainha e à noite corta com a foicinha.
- Março marçagão, de manhã cara de carvão, à tarde sol de Verão.
- Março marçagão, de manhã chove, de tarde está bom.
- Março marçagão, de manhã focinho de cão, ao meio-dia de rainha e à noite de fuinha.
- Março marçagão, manhã de Inverno, tarde de verão.
- Março marçagão, pela manhã rosto de cão, à tarde Verão.
- Março marçagão, tarde de Verão.
- Março marçagão: de manhã cara de cão, ao meio dia de rainha e à noite de fuinha.
- Março marceja, pela manhã chove a à tarde calmeja.
- Março marcheia, de manha arreganha o pastor, à tarde desenxameia a colmeia.
- Março molinhoso, São João (24/6) farinhoso.
- Março o cria. Março o fia.
- Março pardo e venturoso traz o ano formoso.
- Março pardo, antes enxuto que molhado.
- Março pelarço as noites como os dias, os meses como os marcos.
- Março queima a dama do paço.
- Março ventoso e Abril chuvoso, do bom colmeal farão astroso.
- Março virado de rabo, é pior que o diabo.
- Março zangado é pior que o diabo.
- Março, aguaço.
- Março, encanar.
- Março, marçagão, de manhã cara de rainha, de tarde corta com a foucinha.
- Março, marçagão, de manhã Inverno, de tarde Verão.
- Março, marçagão, manhã de Inverno, tarde de rainha, noite corta que nem foucinha.
- Março, marçagão, manhãs de Inverno e tardes de Verão.
- Março, queima a dama do paço.
- Março, tanto durmo como faço.
- Nasce a erva em Março, ainda que lhe dêem com o maço.
- Nasce erva em Março, ainda que lhe dêem com um maço.
- No dia vinte e cinco de Março vêm as merendas, abalam os serões.
- No tempo do cuco, tanto está molhado como enxuto.
- O enxame de Março mete-o no regaço.
- O grão em Março, nem em casa nem no saco.
- O grão, em Março, nem na terra nem no saco.
- O sol de Março queima a menina no palácio.
- Páscoa em Março, ou fome ou mortaço.
- Poda em Março, vindima no regaço.
- Poda-me em Janeiro, empa-me em Março e verás o que te faço.
- Podar em Março é ser madraço.
- Podar em Março ou no folhato.
- Pouca água em Março, pouco bagaço.
- Quando em Março arrulha a perdiz, ano feliz.
- Quando Março sai ventoso, sai Abril chuvoso.
- Quando o Março sai ventoso, sai o Abril chuvoso.
- Quando Outubro for erveiro, guarda para Março o palheiro.
- Quando troveja em Março, aparelha os cubos e o baraço.
- Quando troveja em Março, aparelha os cubos e o braço.
- Quando troveja em Março, aparelha os cubos e o sargaço.
- Quando troveja em Março, semeia no alto e no baixo.
- Quando vem Março ventoso, Abril sai chuvoso.
- Quanto vale o carro e o carril? Tanto como a chuva entre Março e Abril.
- Quem em Março assoreou, tarde acordou, mas quem a sua maçaroca fiou, com ela se achou.
- Quem em Março come sardinha, em Agosto lhe pica a espinha.
- Quem em Março não merenda, aos mortos se encomenda.
- Quem em Março relva, não tem pão nem erva.
- Quem em Março seroou, tarde ou mal acordou.
- Quem em Março vê uma farroba, em Abril vê mais de mil.
- Quem não poda até Março, vindima no regaço.
- Quem não poda em Março, vindima no regaço.
- Quem poda em Março, é madraço.
- Quem poda em Março, vindima no regaço.
- Quem tenha força no braço, que cave e pode em Março.
- Queres bom cabaço, semeia-o em Março.
- Sáveis por São Marcos (25/4), enchem-se os barcos.
- Se entre Março e Abril o cuco não vier, o fim do mundo está para vir.
- Se não chover entre Março e Abril, venderá El-rei o carro e o carril.
- Se o cuco não vem entre Março e Abril, ou é morto ou está para vir.
- Se o vires em Março, apanha-o no regaço; se o vires em Abril, deixa-o ir; se o vires em Maio, agarrai-o; se o vires em Junho, nem que seja como um punho
- Se ouvires trovejar em Março, semeia no alto e no baixo.
- Se queres bom cabaço, semeia-o em Março.
- Se queres um bom cabaço, semeia-o em Março.
- Secura de Março, ano de vinho.
- Sol de Março queima a dama no paço.
- Sol de Março, pega como pegamaço, e fere como maço.
- Tardes de Março, recolhe teu gado.
- Temporã é a castanha que em Março arreganha.
- Temporã é a castanha que por Março arrebenta.
- Todos os meses me virás ver, menos em Março que quero crescer.
- Trovoada em Março, semeia no alto e no baixo.
- Uma escarabanada entre Março e Abril, vale mais que a dama no palácio, com seu carro e carril.
- Vai-te aos cubos do moinho; teu braço a novos proveja, quando por Março troveja.
- Vai-te embora Fevereirinho de vinte e oito, que deixaste os meus bezerrinhos todos oito; deixo estes, que aí vem o meu irmão Março que, de oito só deixa quatro.
- Vai-te embora Fevereiro que levaste o meu cordeiro! Aí vem meu irmão Março que de oito te deixa quatro.
- Vai-te embora Fevereiro que levaste o meu cordeiro! Deixa vir o meu irmão Março que de oito te deixa quatro.
- Vai-te embora irmão Fevereiro que cá fica a minha ovelha com o meu cordeiro, mas lá vem o irmão Março que não deixará ovelha nem farrapo, nem o pastor se for fraco.
- Vento de Março e chuva de Abril, fazem o Maio florir.
- Vento de Março e chuva de Abril, vinho a florir.
- Vento de Março, chuva de Abril, fazem o Maio florir.
- Vinho de Março, nem vai ao cabaço.
- Vinho que nasce em Maio, é para o gaio; se nasce em Abril, vai ao funil; se nasce em Março, fica no regaço.

Hernâni Matos

MARÇO - Iluminura (9,8x13,3 cm) do “Livro de Horas de D. Fernando”
[Século XVI (1530-1534)], manuscrito com iluminuras da oficina Simon
Bening, conservado no Museu Nacional de Arte Antiga. Pintura a têmpera
e ouro sobre pergaminho.
MARÇO - Iluminura do “Livro de Horas do Duque de Berry”
(Século XV), manuscrito com iluminuras dos irmãos Paul,
Jean et Herman de Limbourg, conservado no Museu Condé,
em Chantilly, na França.
MARÇO - Óleo sobre tela (216 x 145,5 cm) de Leandro Bassano (1557–1622), pintada cerca
de 1595/1600. Kunsthistorisches Museum, Viena.