quarta-feira, 28 de agosto de 2019

Cágueda com fecho na patilha



Fig. 1

A cágueda (Fig. 1) é um artefacto de arte pastoril em madeira que serve de fecho de coleira de gado com chocalho suspenso. Para tal, o chocalho é suspenso de uma correia de couro em cujas extremidades se fazem dois cortes longitudinais. O fecho da coleira é colocado horizontalmente, no ponto exacto em que as extremidades das coleiras se sobrepõem. Para tal é enfiado por um dos lados dos cortes, saindo pelo oposto, de modo a uni-los no rebaixo que tem por função evitar a sua queda ou deslocamento.
A parte que se enfia nos cortes da coleira chama-se “patilha” e é estreita para a cágueda ser mais fácil de enfiar e desenfiar na coleira. A patilha apresenta um "rebaixo" que impede a sua deslocação sem voltar para cima a parte posterior, inteiramente lisa. À parte mais larga por onde se pega a cágueda, dá-se o nome de “cabeça”.
No presente exemplar (Fig. 1), o rosto da cabeça é ligeiramente convexo, quase horizontal e situa-se num plano inferior ao rosto da patilha, que desce abruptamente até à junção da cabeça (Fig.2). O reverso da cágueda é plano.
A geometria da cabeça é circular e com o contorno liso. A decoração no rosto da cabeça recorreu a incisões pouco profundas e foi esculpida com motivos geométricos que apresentam simetria radial. Como elemento decorativo central, destaca-se um hexafólio com folhas delimitadas por sulcos contínuos e nas quais se inscrevem sucessivamente no seu interior, uma folha com limites pontinhados e outra com limites contínuos. Entre cada par de folhas do hexafólio encaixa um losango de lados encurvados, definido por linhas contínuas, no interior do qual se inserem sucessivamente dois losangos igualmente encurvados e definidos por linhas contínuas. Cada folha do hexafólio penetra num sector circular assente nos limites do contorno circular da cabeça. De cada lado de cada uma das folhas do hexafólio, na porção de sector circular correspondente, inserem-se sucessivamente dois triângulos de lados encurvados, o primeiro dos quais com o fundo liso e o segundo com o fundo preenchido por linhas paralelas à base do triângulo.
A patilha (Fig. 2) tem uma tampa móvel em torno de um eixo de madeira cravado verticalmente nela (Fig. 3). Na extremidade oposta ao eixo de rotação apresenta uma ranhura rectangular (Fig. 3) onde se articula um fecho em madeira (Fig. 4) que encaixa no topo da patilha (Fig. 5). Tal como a cabeça, a tampa da patilha foi decorada com incisões pouco profundas. O bordo da tampa é liso, mas apresenta uma serrilha em direcção ao seu interior e com uma forma ogival com base na região do fecho e topo na região do seu eixo de rotação. No interior da serrilha ogival inserem-se sucessivamente duas ogivas decoradas com figuras aproximadamente quadradas. No interior desta ogiva foram definidas figuras aproximadamente rectangulares, comportando dois triângulos inscritos um no outro, com as bases paralelas ao topo da patilha e com um vértice apontando para o eixo de rotação.   
No reverso da patilha (Fig. 6) observam-se as iniciais M.A.C incisas a negro num rectângulo igualmente inciso, mas pintado de vermelho. Trata-se das iniciais de Manuel António Capelins, um pastor que nos anos 60 do séc. XX já deixara o rebanho primeiro e o trabalho nas pedreiras depois, para se dedicar em exclusivo à arte pastoril, o que fazia no monte em que habitava na freguesia de Santa Maria, concelho de Estremoz.




Fig. 2

Fig. 3

Fig. 4

Fig. 5

Fig. 6

3 comentários:

  1. Name diga que fez este achado e que já está na sua coleção?.Se ass2for fica confirmado o seu dote de pisteiro.
    Parabéns e um abraço

    ResponderEliminar
  2. Não me diga que encontrou essa preciosidade para a sua coleção.Há homens com muita sorte,não é? e a sorte dá muito trabalho.Vi primeiro no FB e mandei comentário ,mas como não me apercebi de reação , resolvi insistir.Se for sua os meus parabéns e um abraço.

    ResponderEliminar
  3. Caro amigo Hernâni
    Esta é a terceira tentativa de envio de um comentário à sua magnífica descrição da não menos magnífica cágueda que nos apresentou. Já que não é minha oxalá seja sua.Parabéns.

    ResponderEliminar