quinta-feira, 14 de junho de 2018

Mulheres (de) Coragem - POR UM MUNDO MAIS JUSTO



Mulheres (de) Coragem - POR UM MUNDO MAIS JUSTO é o título da mais recente obra de Maria do Céu Pires, lançada no passado dia 9 de Junho, pelas 16 horas no Centro de Ciência Viva em Estremoz.  A apresentação do livro esteve a cargo da Professora Maria de Fátima Crujo.
A obra é constituída por um volume de capa mole, com grafismo de Raquel Ferreira, a partir de aguarela de Teresa Carvalho. Formato 16 cm x 23 cm, com 170 páginas. A edição é da Colibri e temo preço de lançamento de 14 euros, sendo posteriormente comercializada nas livrarias ao mesmo preço. 
A autora
Maria do Céu dos Santos Pires é natural de Portalegre, onde nasceu em 1960. Professora de Filosofia no Ensino Secundário, é licenciada em Filosofia pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e Doutora em Filosofia pela Universidade de Évora. É Colaboradora do Pólo de Évora do Centro de Investigação “PRAXIS – Centro de Filosofia, Política e Cultura” da Universidade da Beira Interior. Desenvolve actividades no âmbito da Cidadania e dos Direitos Humanos, sendo Coordenadora do Grupo de Estremoz da Secção Portuguesa da Amnistia Internacional.
Participou nas seguintes obras colectivas: A dicotomia política esquerda-direita: a problemática da sua validade e actualidade (Organização de Victor Correia), Fonte da Palavra, 2012; Marginalidade e alternativa – vinte e seis FILÓSOFAS para o século XXI, (Coordenação de Maria Luísa Ribeiro Ferreira e Fernanda Henriques), Colibri, 2016.
É autora das seguintes obras: Pão e Rosas – Exercícios de Cidadania, Edições Colibri, 2012; Ética e Cidadania – um diálogo com Adela Cortina, Edições Colibri, 2015.
A obra
Trata-se de uma colectânea de 32 textos da autora que na Apresentação nos diz que “Este livro está organizado em duas partes distintas. A primeira in­tegra um conjunto de pequenos ensaios cuja origem se situa em trabalhos e comunicações realizadas em contexto académico nos Cursos de Mestrado e de Doutoramento em Filosofia na Universi­dade de Évora, entre os anos de 2008 a 2014. Inclui, igualmente, dois textos: "Para além do contrato social - o papel das emoções na vida política" que resultou da adaptação de uma comunicação apre­sentada na Faculdade de Letras da Universidade do Porto, em se­tembro de 2016, e "O papel do cuidado na Ética ambiental", adap­tado a partir de uma comunicação apresentada na Conferência "O que devemos ao futuro", promovida pela Sociedade de Ética Ambiental, em outubro de 2017, na Fundação Gulbenkian, em Lis­boa. Este primeiro momento termina com a recensão crítica da obra Filosofia e Género da autoria de Fernanda Henriques.
Ainda segundo a autora, “A segunda parte é constituída por textos que foram, original­mente, publicados no Jornal local "Brados do Alentejo" e no Jornal online "Tornado", entre 2016 e 2017. Trata-se de peque­nas notas biográficas sobre mulheres que se destacaram pelo seu pensamento e pela sua intervenção em diferentes épocas históricas e em diferentes áreas mas que, em muitos casos, foram remetidas ao esquecimento. Juntam-se igualmente outros textos cuja temática se centra em várias situações de discriminação, baseadas em questões de género.”
No Prefácio diz-nos André Barata, Professor da Universidade da Beira Interior: “Dona de uma linguagem cristalina, informada e filosoficamente conhecedora, com densidade mas sem nunca perder o cuidado para com a leitura a que se destina, Maria do Céu Pires capta neste livro esses dois registos – o do horizonte fechado de um passado de mulheres apenas clandestinamente pensadoras e o de um horizonte largo de aparecimento de grandes filósofas contemporâneas. Depois de Hannah Arendt, de alguma maneira percursora, ela que nem se revia na designação de filósofa, surgem outras pensadoras maiores, sem tutelas mais ou menos disfarçadas, que Maria do Céu Pires nos apresenta – Sheila Benhabib, Martha Nussbaum, Adela Cortina. Com estas pensadoras, este é também um livro que pensa o nosso tempo, com uma esplêndida capacidade de fazer perguntas que nos dizem respeito, por isso mobilizadoras, e que conduzem o leitor a caminhos de respostas possíveis.”


A autora Maria do Céu Pires, ladeada à esquerda pela apresentadora Maria de
Fátima Crujo e à direita pelo editor Fernão Mão de Ferro. Fotografia de 
António Júlio Rebelo.

Um aspecto da assistência presente na sessão de lançamento do livro no Centro
Ciência Viva de Estremoz. Fotografia de António Júlio Rebelo.