quinta-feira, 7 de abril de 2016

ESTREMOZ / Casa do Alcaide-Mor


Fachada da Casa do Alcaide-Mor na actualidade
Fotografia de Pedro Soeiro

De bordel a Hotel de Charme

A Câmara Municipal de Estremoz vai vender em hasta pública a Antiga Casa da Câmara / Casa do Alcaide-Mor, situada na Rua do Arco de Santarém, nºs 13 e 15, junto da porta medieval denominada Arco ou Porta de Santarém. A decisão foi tomada em reunião camarária realizada no passado dia 23 de Março, tendo a proposta nesse sentido, sido aprovada por maioria, com 3 votos a favor do Presidente da Câmara e dos Vereadores Francisco Ramos e José Trindade e com 2 votos contra dos Vereadores José Fateixa e José Sadio.
Trata-se de um prédio urbano composto por rés-do-chão, 1.º e 2.º andares, afecto a habitação, com 423 m2 de superfície coberta e logradouro com a área de 556 m2, situado em pleno centro histórico quatrocentista. Edifício modesto, valorizado pela composição da frontaria, nomeadamente as janelas manuelino - mudéjares e elementos setecentistas como a janela ao lado do pórtico e a varanda com balaustrada joanina. O interior da casa encontra-se em ruínas, não restando qualquer cobertura ou estrutura e há muito que a fachada ameaça abater.
O edifício foi classificado como Monumento Nacional pelo Decreto n.º 9.842, DG, 1.ª série, n.º 137 de 20 de Junho de 1924. A classificação foi fruto de um equívoco resultante da suposição de ali ter sido a primitiva Casa da Câmara de Estremoz, tese que carece de provas que a sustentem. A Zona Especial de Protecção do edifício foi definida pela Portaria, DG, 2.ª série, n.º 52, de 2 de Março de 1972.  A casa, ao que tudo indica, residência particular do Alcaide-Mor, terá pertencido em finais do século XVI, a uma filha de Febo Moniz, fidalgo da corte de D. Sebastião.
A primitiva Casa da Câmara terá funcionado no edifício que é conhecido por Sala de Audiências de D. Diniz e que segundo Túlio Espanca, tem uma antiguidade que remonta ao 1º terço do séc. XIV. Nunca foi objecto de classificação e ali funciona a Galeria Municipal D. Diniz.
A hasta pública terá lugar no Salão Nobre dos Paços do Concelho, no próximo dia 14 de Abril, com início previsto para as 10 horas e 30 minutos. O valor base de licitação do imóvel é de 50.000 euros e apenas será permitida a sua utilização para fins turísticos. Tudo indica que o edifício, que no século passado albergou um bordel, se venha a transformar num Hotel de Charme.