quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Mensagem de Ano Novo


A 24 de Janeiro têm lugar as eleições para a Presidência da República, que são decisivas para o futuro de Portugal. Todas as candidaturas são legítimas. Todavia há algumas, imbuídas dum certo folclore e que contam à partida com resultados residuais. Essas não são para aqui chamadas. Daí só me referir às apresentadas pelos candidatos com maior peso político. São de diversos tipos: - CANDIDATOS APOIADOS POR COLIGAÇÕES: Marcelo Rebelo de Sousa (PSD-CDS) e Edgar Silva (PCP-PEV); - CANDIDATOS APOIADOS POR PARTIDOS POLÍTICOS: Marisa Matias (BE); - CANDIDATOS APOIADOS POR FACÇÕES PARTIDÁRIAS: Maria de Belém (algum PS); CANDIDATURAS APOIADAS POR CIDADÃOS: Sampaio da Nóvoa.
Marcelo Rebelo de Sousa é o candidato do “Ó tempo volta para trás, dá-me tudo o que eu perdi”, por isso é apoiado pelo PSD e pelo CDS, que recentemente “perderam no campo” e agora “querem ganhar na secretaria”.               
Apesar de no actual contexto, o país votar politicamente à esquerda, não foi possível apresentar às eleições um candidato único das esquerdas. Uns não quiseram e outros acharam conveniente apresentar o seu próprio candidato, visando segurar o respectivo eleitorado, a fim de combater a abstenção. Na sua óptica era a maneira eficaz de assegurar que haveria uma segunda volta das eleições, na qual haveria que apoiar o candidato de esquerda mais votado na primeira volta. O futuro dirá se tiveram ou não razão. A meu ver, trata-se de um risco muito grande, que talvez não tenha sido devidamente avaliado.
Pessoalmente, apoio sem hesitações a candidatura de Sampaio da Nóvoa a Presidente da República Portuguesa, como candidatura independente, livre, nacional, patriótica e de causas sociais. Faço­-o na convicção plena de que as linhas de força da sua Carta de Princípios são consentâneas com o sistema de valores pelo qual me pauto, nomeadamente a defesa do Portugal de Abril, da Constituição da República Portuguesa, da Liberdade, da Democracia, do Estado de Direito, da dignidade da pessoa humana, do pluralismo, da diversidade, da igualdade de género, do Estado Social e da solidariedade nacional e inter-geracional.
Esta a minha Mensagem de Ano Novo.