terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Fabrico dos Chocalhos é Património da Humanidade

O chocalheiro António Augusto Sim-Sim, de Estremoz, mostra o maior chocalho feito por si.
Fotografia NUNO VEIGA/LUSA.

Transcrevo com regozijo e com a devida vénia, 
a notícia do Município de Viana do Alentejo
(http://www.cm-vianadoalentejo.pt/)
de 1 de Dezembro de 2015.

fabrico dos chocalhos, uma arte em vias de desaparecer, foi classificado pela UNESCO como Património Cultural Imaterial com Necessidade de Salvaguarda Urgente.

A distinção foi aprovada, hoje, dia 1 de dezembro, pelo Comité Intergovernamental para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial reunido na Namíbia.
A conquista desta distinção facilitará a preservação e proteção desta arte secular, apostando em medidas de salvaguarda e promoção da mesma.
De salientar que a candidatura do fabrico dos chocalhos a Património da Humanidade foi entregue na UNESCO em maio de 2014. Durante a fase de análise, no passado mês de novembro, o parecer da UNESCO classificou o dossiê da candidatura, um “modelo” a seguir e recomendou a inscrição do fabrico dos chocalhos na Lista do Património Cultural Imaterial com Necessidade de Salvaguarda Urgente.
Recorde-se que o processo de candidatura que teve âmbito nacional, coordenado pelo antropólogo Paulo Lima, foi liderado pela Turismo do Alentejo e Ribatejo, em colaboração com a Câmara Municipal de Viana do Alentejo e a Junta de Freguesia de Alcáçovas.
A classificação do fabrico dos chocalhos vem juntar-se aos 3 selos de Património Mundial que a região Alentejo já tinha: Centro Histórico de Évora (1986), as Fortificações de Elvas (2012) e o Cante Alentejano (2014).
O fabrico dos chocalhos era uma das 43 candidaturas em análise na Namíbia.