domingo, 8 de novembro de 2015

Poesia Portuguesa - 043


A uma bicicleta desenhada na cela
Luís Veiga Leitão (1912-1987)

Nesta parede que me veste
Da cabeça aos pés, inteira,
Bem hajas, companheira,
As viagens que me deste.

Aqui,
Onde o dia é mal nascido,
Jamais me cansou
O rumo que deixou
O lápis proibido…
Bem-haja a mão que te criou!
Olhos montados no selim
Pedalei, atravessei
E viajei
Para além de mim.

Luís Veiga Leitão (1912-1987)