sexta-feira, 30 de maio de 2014

A lavadeira nas lengalengas

MULHER A LAVAR A ROUPA. Maria Luísa da Conceição.
Marcas: ESTREMOZ aposta por carimbo (0,7 cm x 2,5 cm) e
M. Luísa manuscrita. Dimensões (cm): Alt. 16,5; Larg. 7; Prof. 13.
Peso (g): 489. Colecção particular.

A nossa abordagem temática das “lavadeiras” e da “lavagem” ficaria incompleta em termos de literatura oral, se não referíssemos conhecidas lengalengas. Estas são especímenes da tradição oral, transmitidas de geração em geração, que assumem a forma de cantilenas constituídas por frases curtas, em geral rimadas e com repetições, as quais permitem que sejam decoradas com facilidade. Geralmente, as lengalengas estão associadas a brincadeiras e a jogos infantis.
Da temática referida, conhecemos duas, que registamos aqui:

Ó Senhora Lavadeira

Ó senhora lavadeira
Já matou o seu porquinho?
Traga cá uma talhada
Do rabo até ao focinho
Aqui estou à sua porta
Sentada numa cortiça
Não me vou daqui embora
Sem me dar uma linguiça.

Senhora Dona Anica

Senhora Dona Anica
Sra. D. Anica
venha abaixo ao seu jardim
Venha ver as lavadeiras
a fazer assim - assim (gesto de esfregar roupa)

Sra. D. Anica
venha abaixo ao seu jardim
Venha ver as costureiras
a fazer assim - assim (gesto de bordar)

Sra. D. Anica
venha abaixo ao seu jardim
Venha ver os jardineiros
a fazer assim - assim (gesto de cavar)

Sra. D. Anica
venha abaixo ao seu jardim
Venha ver os sapateiros
a fazer assim - assim (gesto de martelar)

Sra. D. Anica
venha abaixo ao seu jardim
Venha ver os carpinteiros
a fazer assim - assim (gesto de serrar)

Sra. D. Anica
venha abaixo ao seu jardim
Venha ver os cozinheiros
a fazer assim - assim (gesto de mexer a sopa)