segunda-feira, 4 de junho de 2012

Walowski, fotógrafo de Estremoz


C.J. Walowski foi um dos primeiros fotógrafos a registar imagens de Estremoz. A pesquisa na imprensa periódica levou-nos a descobrir o anúncio cuja imagem reproduzimos e que foi publicado no semanário “O ESTREMOCENSE”, dirigido por Rodam Tavares, desde o nº 152 (7 de Fevereiro de 1891), até ao nº 167 (30 de Maio de 1891), o que permite datar no ano de 1891, fotografias que se diziam ser de finais do século XIX – princípios do séc. XX.
No nº 164 (2 de Maio de 1891), de “O ESTREMOCENSE” é dito que “O distinto photographo J. Walowski, que aqui se demora só até 10 do corrente mez, tirou já muitas vistas de diversos pontos de Estremoz e d’alguns monumentos notáveis desta vila;”. Enumera de seguida as vistas e diz que “São ao todo 21 vistas que formarão um formoso álbum…”.
Julgamos interessante perceber o contexto nacional e internacional em que trabalhou Walowski, para o que passamos em revista algumas das principais efemérides da época:
- 5 de Janeiro - José Elias Garcia é afastado do Directório no Congresso do Partido Republicano.
- 10 de Janeiro - João de Azevedo Coutinho regressa de África, sendo vitoriado por estudantes radicais republicanos, que procuram encontrar, sem êxito, um caudilho militar que levasse a uma viragem política.
- 31 de Janeiro – Tem lugar no Porto, a primeira grande tentativa republicana de derrube da Monarquia.
- 20 de Março – O Parlamento aprova um empréstimo de 36.000 contos, concedido ao Estado por financeiros portugueses, franceses e alemães em troca do monopólio do tabaco.
- 12 de Abril - Manifesto dos exilados republicanos com insultos ao rei, subscrito entre outros por Sampaio Bruno.
- 14 de Abril - O Parlamento aprova Regulamentação sobre as condições de emprego, a duração da jornada de trabalho, o repouso semanal e a higiene e segurança nos estabelecimentos industriais que empregavam menores e mulheres.
- 8 de Maio - É celebrado um novo tratado entre Portugal e a Inglaterra, que substituirá o acordo assinado em 20 de Agosto de 1890 e que é considerado mais gravoso do que este.
- 15 de Maio – O papa Leão XIII publica a sua encíclica “Rerum Novarum”, na qual expõe a doutrina social da Igreja, sublinhando que o capital só se pode legitimar ao serviço das necessidades da comunidade. Afirma também que o estado deve intervir no sentido de proteger os grupos sociais menos favorecidos e incita vigorosamente os operários no sentido de se organizarem em associações profissionais. Com esta encíclica, a Igreja conseguiu a sua inserção no mundo operário.
- 21 de Maio - João Crisóstomo consegue formar Governo, após ter apresentado a D. Carlos I a demissão do seu Governo, face ao agravamento da crise financeira.
- 21 de Junho – Morre Elias Garcia (1830-1891), político, jornalista, professor, coronel de engenharia e grão mestre da Maçonaria, que desempenhou um papel capital na divulgação e luta pelos ideais liberais e republicanos.
- 11 de Setembro – Suicídio de Antero de Quental (1842-1891), publicista politico, filosofo e poeta.
A desvalorização da nossa moeda, leva na época à triplicação do valor da libra, agravando o deficit orçamental. O governo tem dificuldades em honrar os compromissos da dívida pública e em socorrer bancos, companhias ferroviárias e coloniais que se encontravam à beira da falência. A situação financeira degrada-se com a baixa de exportações dos produtos agrícolas e a elevação dos compromissos externos do Estado e das empresas privadas, bem como o crescimento das importações. O público reage activamente, correndo em massa aos depósitos bancários e à conversão das notas. O Banco de Portugal fica sem reservas e os outros Bancos acabam por suspender os pagamentos, o que levou o Governo a impor o curso forçado das notas, que no de decurso do ano haviam desvalorizado em mais de 10%.
Walowski trabalha em Estremoz no ano de 1891, quando as instituições monárquicas já estão abaladas e os republicanos procuram uma mudança de paradigma a nível de governo da Nação e da Chefia do Estado, o que só conseguirão a 5 de Outubro de 1910. E porque a ditadura do mercado e do capital tende a esmagar os mais fracos e desfavorecidos, a doutrina de Roma volta ao tempo das catacumbas e chama a si a defesa dos mesmos. Tal como faz hoje. Talvez porque o problema ameaça ser eterno quando não se corta o mal pela raíz.


Estremoz - Igreja de Santo André.
Fotografia de C.J. Walowski (1891).
Arquivo do autor.
Estremoz - Avenida do Rocio.
Fotografia de C.J. Walowski (1891).
Arquivo do autor. 
Estremoz - Convento dos Congregados.
Fotografia de C.J. Walowski (1891).
Arquivo do autor. 
Estremoz - Misericórdia e Convento das Maltesas.
Fotografia de C.J. Walowski (1891).
 Arquivo do autor.