terça-feira, 10 de maio de 2011

O Sentido da visão: Calão

 MULHER COM VÉU - Jaime Martins Barata (1899-1970). Óleo sobre tela.

PREÂMBULO
Seja qual for o contexto em que nasceu ou seja usado, o calão transvaza largamente o seu núcleo inicial de cultores e é incorporado na linguagem corrente do cidadão comum. Daí fazer sentido aqui, uma abordagem do mesmo, em termos de literatura oral e no contexto do sentido da visão.
Uma tal abordagem será centralizada em termos tais como “vista”, “olho”, “ver”, “olhar”, “luz”, “cor”, “doenças da visão” e “cegueira”.
VISTA
A visão (vista) será, porventura o sentido mais eficaz na gestão da nossa interacção com o mundo que nos cerca. Por sua vez, o calão potencia fortemente o substantivo feminino, adjectivando-o em cada caso, da maneira mais adequada:
- Vista aguda = Perspicácia [3]
- Vista alegre = O lenço [2] (Calão de Minde)
- Vista armada = Visão com o auxílio de instrumentos ópticos [3]
- Vista baixa = O porco [2] (Calão de Minde)
- Vista de olhos = Relance rápido, superficial [3]
- Vista desarmada = Visão sem o auxílio de instrumentos ópticos [3]
- Vista grossa = Cumplicidade [3]
- Vista grossa = Ver e fazer de conta que não vê [1]
- Vistas curtas = Diz-se de pessoa pouco inteligente = De espírito tacanho [3]
- Vistas largas = Diz-se de pessoa inteligente e de espírito liberal e aberto [3]
OLHO
O calão adjectiva amplamente o(s) olho(s) como órgãos sensoriais da visão. E com tudo isso, a língua portuguesa sai mais rica:
- Medir a olhómetro = Avaliar à vista [4]
- Olho à Belenenses = Olho azul devido a uma pancada [3]
- Olho alerta! = Chamada para algum perigo [3]
- Olho ao peito = Olho negro [3]
- Olho atrás, olho adiante = Cautelosamente [3]
- Olho clínico = Aptidão = Capacidade = Perspicácia [3]
- Olho comprido = Bisbilhotice [3]
- Olho da providência – Protecção divina [3]
- Olho da rua = Ao ar livre =No meio da rua [3]
- Olho de águia = Perspicaz = Inteligente [3]
- Olho de azougue = Perspicaz = Inteligente [3]
- Olho do céu = O Sol [3]
- Olho gordo (grande) = Diz-se que o tem pessoa invejosa [3]
- Olho no Cristo que é de prata = Frase com que se chama a atenção para se vigiar algo que pode ser furtado [3]
- Olho por olho = Pagar-se na mesma moeda [3]
- Olho traseiro = O cu [3]
- Olho vê, mão pilha = Diz-se de gatuno que age com rapidez [3]
- Olho vivo = Olhar de pessoa inteligente
- Olho vivo! = Atenção! = Cautela! [3]
- Olho vivo, pé ligeiro = É preciso estar com atenção e pronto a desaparecer [3]
- Olho-de-boi = Clarabóia [3]
- Olhos envinagrados = Olhos avermelhados, de bêbado [3]
- Olhos atravessados = Olhos vesgos ou travessos [3]
- Olhos de amêndoa = Olhos oblíquos [3]
- Olhos de besugo = Olhos esbugalhados [3]
- Olhos de carneiro mal morto = Olhos mortiços [3]
- Olhos de garça = Olhos verdes ou azuis [3]
- Olhos de gazela = Olhos suaves, meigos [3]
- Olhos de goraz = Olhos esbugalhados, protuberantes [3]
- Olhos em alvo = Olhos mortiços [3]
- Olhos em bico = Ficar espantado = Olhos parecidos com os dos chineses [3]
- Olhos nos olhos = Frente a frente [3]
- Olhos que te viram ir = Diz-se quando se perde uma oportunidade que já não voltará [3]
VER
O exercício da visão consiste no acto de ver, termo que é verbo e substantivo com largo espectro de significâncias, reforçadas em contexto de calão:
- Ver a Deus pelos pés = Receber uma fortuna inesperada [3]
- Ver à légua = Ver longe = Prever [3]
- Ver a primeira luz = Nascer [3]
- Ver a vida a andar para trás = Andar em maré de azar [3]
- Ver arder as barbas do vizinho = Ver em outrem algo que também lhe pode acontecer [3]
- Ver Braga por um canudo = Não alcançar o que se desejava [3]
- Ver cabelos num ovo = Ver de mais [3]
- Ver cobra = Ficar espantado = Assustar-se
- Ver com estes que a terra há-de comer = Jura em que se invocam os olhos [3]
- Ver com olhos de ver = Observar com atenção [3]
- Ver com os olhos e comer com a testa = Desejar algo inacessível que se contempla, mas não se pode usufruir [3]
- Ver com sete olhos = Observar minuciosamente [3]
- Ver de que lado sopra o vento = Esperar pelos acontecimentos para agir conforme as circunstancias [3]
- Ver em que param as modas = Aguardar os acontecimentos [1]
- Ver as estrelas = Sofrer de repente uma grande dor [3]
- Ver estrelas = Referência a uma situação que se gora [4]
- Ver flamingos à meia-noite = Sofrer de repente uma grande dor = Ver-se embaraçado ou perdido [3]
- Ver furo = Reconhecer uma possibilidade = Ver uma oportunidade [3]
- Ver lobo = Diz-se de pessoa que ficou assustada com o que viu [3]
- Ver longe = Prever = Ser perspicaz [3]
- Ver moscas (mosquitos) na outra banda = Ver muito bem = Estar a inventar coisas [3]
- Ver navios = Não se conseguir o que se deseja = Ter uma desilusão [1]
- Ver o argueiro no olho alheio e não ver a trave no seu = Criticar os defeitos alheios e não conhecer os próprios [3]
- Ver o caso mal parado = Não descortinar solução para um problema [3]
- Ver o céu por dentro = Morrer [3]
- Ver o cu ao pé das calças = Apanhar um grande susto [3]
- Ver o fim do túnel = Ver o resultado final = Admitir melhoria de situação [3]
- Ver o fundo ao tacho (prato, canastra, saco) = Acabarem-se os rendimentos = Acabar-se tudo [3]
- Ver o padeiro = Ter cópula [4]
- Ver o padeiro = Ver navios [4]
- Ver o sol aos quadradinhos = Ser ou estar preso [4]
- Ver os touros de palanque = Presenciar qualquer tumulto em lugar seguro [1]
- Ver para crer (como S. Tomé) = Só acreditar no que se vê ou está irrefutavelmente provado [3]
- Ver passar os comboios = Não estar ocupado = Não ser contemplado numa situação de favor [4]
- Ver passarinho novo (verde) = Andar optimista = Ter uma surpresa agradável [3]
- Ver pelo mesmo prisma = Analisar segundo o mesmo ponto de vista [3]
- Ver pelo rabo (canto) do olho = Ver de esguelha = Ver sem querer ver = Ver superficialmente [3]
- Ver pelos olhos de outrem = Julgar pelo que outro viu ou disse [3]
- Ver por um canudo = Não conseguir o desejado [3]
- Ver por um óculo = Perder = Deixar distanciar-se = Perder de vista [4]
- Ver se pegam as bichas = Lançar um argumento, opinião ou acção a ver se os outros aceitam = Tentar convencer [3]
- Ver sombras no escuro = Idem [3]
- Ver tudo cor-de-rosa = Só ver o lado bom do mundo [3]
- Ver tudo negro = Não encontrar solução para um assunto ou problema = Diz-se de pessoa pessimista [3]
- Ver uma bruxa = Apanhar uma repreensão severa [1]
- Ver uma bruxa = Ver-se embaraçado [3]
- Veremos, como diz o cego = Frase com que se manifesta dúvida ou incredulidade perante um facto possível de acontecer [3]
- Ver-se à brocha = Estar aflito ou em apuros [3]
- Ver-se à rasca = Estar aflito ou em apuros [3]
- Ver-se à vara = Estar aflito ou em apuros [3]
- Ver-se amarelo = Estar aflito ou em apuros [3]
- Ver-se azul = Estar aflito ou em apuros [3]
- Ver-se da cor da abelha = Estar aflito ou em apuros [3]
- Ver-se da cor da pele do Diabo = Estar aflito ou em apuros [3]
- Ver-se doido = Sentir-se atarantado, sem saber o que fazer [3]
- Ver-se e desejar-se = Estar muito atrapalhado = Estar sobrecarregado [3]
- Ver-se em assados = Estar em dificuldades [3]
- Ver-se em calças pardas = Estar em dificuldades [3]
- Ver-se em calças pardas = Ser severamente castigado [4]
- Ver-se em calças pardas = Ver-se em dificuldades [1]
- Ver-se em maus lençóis = Estar em dificuldades [3]
- Ver-se em palpos de aranha = Ver-se em situação embaraçosa e difícil = Estar desorientado [3]
- Ver-se em panças = Estar em dificuldades [3]
- Ver-se em talas = Ver-se em dificuldades [1]
- Ver-se entre a cruz e a caldeirinha = Ver-se em dificuldades = Estar perante um dilema [3]
- Ver-se gago = Ver-se em dificuldades = Estar perante um dilema [3]
- Ver-se grego = Deparar-se uma dificuldade que muito trabalho e tempo demora a resolver-se [3]
- Ver-se grego = Estar em dificuldades [4]
- Ver-se nas amarelas = Ver-se em dificuldades ou perigo [3]
- Ver-se nas ataqueiras = Ver-se em dificuldades ou perigo [3]
OLHAR
O “olhar”, verbo de sentido abrangente, mas também substantivo preciso, marca tal como o verbo e substantivo “ver”, um significativo registo no nosso calão:
- Olha o bicho! Olha o bicho! = Expressão com que se chama a atenção para algo que se estreia, como uma peça de vestuário [3]
- Olha o bufo = Vem gente = Vem polícia [2] (Calão do Porto)
- Olha o passarinho = Forma de chamar a atenção, sobretudo de crianças [3]
- Olhar com bons olhos = Ver ou avaliar com aprovação [3]
- Olhar como boi para palácio = Não compreender nada de um assunto ou do que se passa [3]
- Olhar como boi para palácio = Não ligar apreço = Não dar importância [1]
- Olhar contra o governo = Olhar de esguelha = Estar contra [3]
- Olhar contra o governo = Ser vesgo [1]
- Olhar das chedas o carro = Olhar alguém com desprezo [3]
- Olhar de alto = Olhar com sobranceria [3]
- Olhar de banda = Olhar com desconfiança [3]
- Olhar de banda como o Miranda = Referência a quem olha de esguelha [3]
- Olhar de esconso (esguelha) = Referência a quem olha de esguelha [3]
- Olhar de frente = Manifestar coragem [3]
- Olhar de lado = Olhar com sobranceria [3]
- Olhar para (ante) ontem = Estar pensativo ou distraído [3]
- Olhar para a sombra = Começar a ter vaidade = Namoriscar [3]
- Olhar para dentro = Dormir [3]
- Olhar para o ar = Estar sem fazer nada [3]
- Olhar para o boneco = Estar sem fazer nada = Distrair-se [3]
- Olhar para o próprio umbigo = Ser narcisista e egoísta [3]
- Olhar para o Sete-Estrelo = Olhar o céu = Estar distraído = Estar sem fazer nada [3]
- Olhar para o tempo = Andar na vadiagem = Andar sem fazer nada [1]
- Olhar pelo canto (rabo) do olho = Olhar de soslaio = Olhar disfarçadamente [3]
- Olhar pelo físico = Defender-se de excessos [3]
- Olhar por alguém = Tratá-lo = Protegê-lo [3]
- Olhar por baixo = Diz-se fingidora, sonsa [3]
- Olhar por cima da burra = Olhar alguém com desprezo ou superioridade [3]
- Olhar por cima da burra = Ser severo com alguém [4]
- Olhar por cima dos ombros = Tratar alguém com severidade [1]
- Olhar por si = Defender as suas conveniências [3]
- Olhar quebrado = Olhar lânguido [3]
LUZ
A luz que atinge o globo ocular está na base do mecanismo da visão e de alguns termos de calão no âmbito da visão:
- Deitar o luzio = Olhar = Observar [2]
- Luz = Dinheiro [2]
- Luzeiro = Pedra preciosa = Brilhante = Dia [5]
- Luzente = Pedra preciosa = Brilhante = Dia [5]
- Luzento = Brilhante [2]
- Luzernas = Os olhos [1]
- Luzes = O dia [2]
- Luzio = Dia [1]
- Luzio = Lampião [1]
- Luzio = Olho [1]
- Luzio = Olhos = Olhar [4]
- Luzir-lhe o olho = Mostrar muito interesse por algo [4]
- Pescas de luzio = Olhadela 0 Piscadela de olhos [2]
COR
Como característica da imagem, a cor não deixa de estar presente no calão:
- Cor de burro quando foge = Cor esquisita = Cor inqualificável [1]
- Cor do Senhor dos Passos da Graça = Roxo desbotado [3]
DOENÇAS DA VISÃO
Sendo a visão uma mais valia, as perturbações da visão teriam necessariamente que estar presentes no calão:
- Pitosca = Zarolho = Míope [1]
- Pitosga = Pitosga [1]
- Zambaio = Vesgo [1]
- Zanaga = Vesgo [1]
- Zarolho = Cego de um olho [2]
- Zarolho = Vesgo [1]
CEGUEIRA
A cegueira ou perda do sentido de visão, está igualmente presente no calão, através de termos ou frases, alguns de conteúdo vernáculo:
- Bater uma ceguinha = Masturbar-se [5]
- Cega = Bebedeira [4]
- Cega = Bebedeira = Masturbação [5]
- Cegada = Grupo de mascarados que percorrem as ruas no Carnaval = Grande confusão = festa muito animada [5]
- Cegante = Alfinete com brilhantes [4]
- Cegante = Anel com brilhantes [2]
- Cego = Estudante que interrogado pelo professor e não tendo estudado, responde: “Peço desculpa, mas não vi. Não pude ver.” [2]
- Cego como uma toupeira = Alguém que vê muito mal [3]
- Cegueta = Indivíduo cego dum olho [2]
- Cegueta = Indivíduo cego dum olho ou estrábico [4]
- Cegueta = Pessoa que vê mal [5]
- Ceguinha = Masturbação [5]
- Ceguinho = Pénis [5]
- Ceguinho seja eu = Forma de jura com que se pretende que acreditem em, nós [3]
NOTA FINAL
Independentemente do fascínio que a abordagem do calão exerceu sobre nós, tivemos que dar a mesma por terminada, para não fastidiar mais o leitor. Muito ainda ficou, naturalmente por dizer.

BIBLIOGRAFIA
[1] - BESSA, Alberto. A Gíria Portugueza. Gomes de Carvalho- Editor. Lisboa, 1901.
[2] – LAPA. Albino. Dicionário de Calão. Edição do Autor. Lisboa, 1959.
[3] - NEVES, Orlando. Dicionário de Expressões Correntes. Editorial Notícias. Lisboa, 1998.
[4] – NOBRE, Eduardo. Dicionário de Calão. Publicações Dom Quixote. Lisboa, 1986.
[5] – PRAÇA, Afonso. Novo Dicionário de Calão. Editorial Notícias. Lisboa, 2001.