segunda-feira, 30 de abril de 2012

Abril na Pintura Universal

ABRIL (SÉC. XV).
Paul, Jean et Herman de Limbourg (1370-80-1416).
Iluminura do “Livro de Horas do Duque de Berry”.
Museu Condé, Chantilly.

Abril, quarto mês do calendário gregoriano, tem 30 dias; segundo dos romanos, antes da reforma do calendário por Numa; segundo da ano astronómico, por coincidir com a entrada do Sol no signo de Touro (animal doméstico que personifica a força e a utilidade), segundo do Zodíaco e primeiro dos francesas, até 1564, ano em que Carlos IX decretou que o ano começasse a ser contado a partir do dia 1 de Janeiro.
O seu nome derivará do latim Aprilis, que significa abrir, o que constitui uma referência à germinação das culturas. Uma hipótese etimológica alternativa aventa que Abril seja derivado de Aprus, nome etrusco de Vénus, deusa do amor e da paixão. Daí a crença de que os amores nascidos em Abril são para sempre. Finalmente, outra conjectura etimológica é aquela que relaciona Abril com Afrodite, nome grego da deusa Vénus, que teria nascido da espuma do mar, que em grego arcaico se dizia "Abril".
“Abril” é o tema central de telas criadas por grandes nomes da pintura universal, dos quais destacamos, associados por épocas/correntes da pintura:
RENASCENÇA: Paul, Jean et Herman de Limbourg (1370-80-1416). holandês; Francesco del Cossa (c. 1435-c. 1477), italiano; Artista desconhecido, Bruges, flamengo; Artista desconhecido, Bruges, flamengo; Simon Bening (1483-1561), flamengo; Miniaturista flamengo (?-?), flamengo; António de Holanda (?-?), holandês; Oficina de Simon Bening (1483-1561), flamengo.
BARROCO: Leandro Bassono (1557–1622), italiano.
Todos eles dão grande realce às actividades agro-pecuárias do mês de Abril.



ALEGORIA DE ABRIL OU TRIUNFO DE VÉNUS (1476-84).
Francesco del Cossa (c. 1435-c. 1477).
Fresco (500 x 320 cm).
Palazzo Schifanoia, Ferrara. 
 1ª PÁGINA DO CALENDÁRIO DE ABRIL (1480).
Artista desconhecido, Bruges.
Iluminura do “Livro de Horas de Joana de Castela”.
British Library, London.
2ª página do Calendário de Abril (1480).
Artista desconhecido, Bruges.
Iluminura do “Livro de Horas de Joana de Castela”.
British Library, London. 
ABRIL (C/1515).
Simon Bening (1483-1561).
Iluminura do “Livro de Horas da Costa”.
Morgan Library, New York. 
ABRIL (1490-1510).
Miniaturista flamengo (?-?)
Iluminura (28 x 21,5 cm) do “Breviário Grimani”.
Biblioteca Nazionale Marciana, Venice. 
ABRIL (1517-1551).
António de Holanda (?-?)
Iluminura (10,8x14 cm) do “Livro de Horas de D. Manuel I”.
Museu Nacional de Arte Antiga. Lisboa. 
ABRIL (1530-1534).
Oficina de Simon Bening (1483-1561).
Iluminura (9,8x13,3 cm) do “Livro de Horas de D. Fernando”.
Museu Nacional de Arte Antiga, Lisboa. 
ABRIL (1595/1600).
Leandro Bassono (1557–1622).
Óleo sobre tela (164,5x145,5 cm).
Kunsthistorisches Museum, Viena.