quinta-feira, 10 de janeiro de 2019

Hernâni Matos lançou o livro “Bonecos de Estremoz”


A mesa da apresentação do livro. Da esquerda para a direita: o autor, Francisca de
Matos, José Carlos Salema, António Júlio Rebelo e Armando Alves.

Texto transcrito com a devida vénia
 do jornal E, nº 214, de 10 de Janeiro de 2019.
Fotografias de Luís Mariano Guimarães.

“Este livro é um livro de amor aos Bonecos de Estremoz. Mas é igualmente e sobretudo um livro de respeito e admiração por todos os barristas do passado e do presente, sem exceção”. Com estas palavras, Hernâni Matos anunciou, no passado Sábado, dia 5 de janeiro, a uma plateia numerosa, o que é para si o seu mais recente livro, “Bonecos de Estremoz”, que, não sendo um livro de História dos Bonecos de Estremoz, é, segundo o autor, um registo rigoroso “dos principais marcos históricos da sua caminhada desde setecentos até aos dias de hoje”.
O local escolhido para a apresentação da obra, o auditório da Escola Secundária Rainha Santa Isabel de Estremoz (ESRSI), o lugar onde o escritor exerceu por 36 anos (i) a sua atividade como professor, mas é também um lugar emblemático, segundo Hernâni Matos, porque “legítimo herdeiro das tradições da Escola Industrial de António Augusto Gonçalves”. “Aí, o Diretor de então, o escultor José Maria de Sá Lemos, recuperou a tradição da manufactura dos Bonecos de Estremoz, extinta desde 1921”, lembrou aos presentes.
Na sessão de apresentação do livro “Bonecos de Estremoz”, António Júlio Rebelo, autor do Prefácio, descreveu a obra como uma viagem. “No caso presente, o guia da nossa viagem foi o Hernâni Matos, ele levou-nos história fora, por aí adiante até aos confins do quase impossível com uma paixão imensa e única que tem por Estremoz”, dizendo ainda, referindo-se ao autor, que “é o seu lado de investigador insatisfeito que permitiu trazer todos estes bonecos para a luz do dia, como que saídos da escuridão, tal Caverna de Platão”.
O livro tem Prefácio de António Júlio Rebelo, Posfácio de Maria de Santa Isabel, Revisão de Francisca de Matos e Fotografia de Luís Mariano Guimarães. O Design Gráfico e a Capa ficaram a cargo do conhecido pintor estremocense Armando Alves, personalidades que no lançamento do livro “Bonecos de Estremoz”, com o Diretor da ESRSI, José Carlos Salema, acompanharam o autor, Hernâni Matos.
A obra desenvolve-se por 13 capítulos: Estórias do Autor, As Jóias da Coroa, Dos primórdios até à extinção, A Revitalização da Manufactura, A Exposição do Mundo Português, Os continuadores, A manufactura, Bonecos da tradição, Bonecos da inovação, Mais olaria enfeitada, Brinquedos de louça de Estremoz, Estórias de barristas, Património Cultural Imaterial da Humanidade.
O autor, escritor, jornalista e blogger, é um apaixonado pela cultura popular de Estremoz e do Alentejo. É colecionador de Bonecos de Estremoz há mais de 40 anos e incansável investigador da Barrística Popular Estremocense, tendo dado valioso contributo para o aprofundamento e consolidação da sua história.
O livro, editado pelas Edições Afrontamento, é impresso em papel couché de 150 g / m2, mede 27,5 cm x 27,5 cm, pesa 1377 g e tem 180 páginas, ilustradas com 360 imagens. A capa dura é forrada com papel impresso a 4 cores, plasticizada com brilho. A tiragem é de 1500 exemplares e não vai estar disponível nos circuitos comerciais habituais, podendo os interessados na sua aquisição contactar diretamente o seu autor ou encontrar a obra no atelier das Irmãs Flores, sito no Largo da República, em Estremoz, onde poderá ser adquirido.


 Um aspecto do público presente na sessão de apresentação do livro.

Um aspecto da banca de vendas.


BONECOS DE ESTREMOZ, o livro de Hernâni Matos.  

(i) - CORRECÇÃO DO EDITOR DO BLOGUE: 34 anos num conjunto de 36 de actividade profissional.