terça-feira, 23 de janeiro de 2018

Senhor Doutor Hugo Guerreiro, sinta-se condecorado!


Ivone Carapeto (Advogada, Directora do jornal E, de Estremoz)
DR
Para tudo devemos procurar a explicação mais simples: os elementos do MIETZ que integram o executivo camarário estremocense chumbaram a proposta de atribuição da medalha de mérito municipal a Hugo Guerreiro, Diretor do Museu Municipal Professor Joaquim Vermelho, porque ela veio do PS. Essa é a singela razão que levou à reprovável posição de ingratidão do município relativamente a um dos seus e que encabeçou o projeto com maior impacto de sempre na vida cultural da cidade: a classificação do figurado de barro de Estremoz como Património Cultural Imaterial da Humanidade.
Contra a atribuição da medalha de mérito municipal, o Presidente da Câmara alegou que tal não seria justo para todas as outras pessoas envolvidas na candidatura, nomeadamente ele, as senhoras Vereadoras e todos os outros funcionários ou mesmo alguns membros do governo que ajudaram no processo.
Mas é óbvio que essa não é a razão. É óbvio que o executivo MIETZ bem sabe que Hugo Guerreiro, coordenador da candidatura é o rosto dela e o responsável técnico máximo sem o qual uma boa ideia não teria saído do papel. E é também certo que se a ideia de o distinguir com a medalha de mérito municipal tivesse saído da liderança do município, Hugo Guerreiro teria a sua medalha.
A verdade é que, com ou sem razão, o executivo MIETZ recebeu a proposta do PS como uma provocação. Se foi ou não, não sei e não interessa para aqui.
Facto é que Hugo Guerreiro era merecedor da distinção que apenas não lhe foi dada, na minha humilde opinião porque proposta pela oposição. A cidade ou, pelo menos, aqueles que entendem o trabalho que aquele técnico superior do município fez e tudo o que esse esforço significa para os estremocenses do passado, do presente e do futuro gostariam que um louvor tão consensual não tivesse descambado em conflitos de política “partidária”. Não havia necessidade. Senhor Doutor Hugo Guerreiro, as medalhas são meros objetos. Mais bonito que recebê-la, teria sido dá-la. Sinta-se condecorado!

Ivone Carapeto
Advogada, Directora do jornal E, de Estremoz
(Texto publicado no jornal E nº 192, de 25-1-2018)


Hernâni Matos