quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

41 - Fuga para o Egipto - 2

Fuga para o Egipto (1983-1985).
Liberdade da Conceição (1913-1990).
Colecção particular.

Arte portuguesa
Em Portugal há um certo número de obras de arte incluídas na temática da “Fuga para o Egipto” que sobressaem e merecem especial destaque. Passo de seguida a enumerá-las. ESCULTURA EM PEDRA: - Um dos seis quadros de um dos frontais do túmulo de D. Inês de Castro, escultura gótica em pedra, de autor desconhecido (1358-1367); - Mosteiro de Alcobaça: Painel dum tríptico de dois andares, em médio e baixo-relevo, em pedra de João de Ruão (1577). Museu Machado de Castro, Coimbra.
ESCULTURA EM MADEIRA POLICROMADA: - Ambrósio Coelho e Manuel Gomes de Andrade (1ª metade do séc. XVIII). Museu de Alberto Sampaio, Guimarães. ESCULTURA EM BARRO POLICROMADO: - António e Dionísio Ferreira (1700-1730). Presépio da Igreja da Madre de Deus, Lisboa; - Joaquim Machado de Castro (1766). Presépio da Sé de Lisboa; - Autor anónimo (séc. XVIII). Presépio do Palácio das Necessidades. Museu Nacional de Arte Antiga, Lisboa; - Autor anónimo (séc. XVIII-XIX). Museu dos Biscainhos, Braga. PINTURA: - Francisco Henriques e Grão Vasco (1501-1506). Um de catorze quadros do retábulo da Capela-mor da Sé de Viseu; - Gregório Lopes (c. 1527). Museu Nacional de Arte Antiga, Lisboa; - Discípulo de Grão Vasco (1520-1535). Um de dezasseis quadros de retábulo quinhentista.  Igreja de São Miguel, Freixo de Espada à Cinta; - Círculo de Gerard David (1495-1510). Museu de Évora. PAINÉIS DE AZULEJOS: - Gabriel del Barco (1695-1700). Capela de Nossa Senhora do Rosário, Sé Catedral de Faro; - Gabriel del Barco (1698). Capela de Nossa Senhora dos Prazeres, Beja; - Gabriel del Barco (c. 1700). Igreja do Convento de Nossa Senhora do Espinheiro, Évora; - Policarpo de Oliveira Bernardes (1730). Museu Nacional do Azulejo, Lisboa; - Autor desconhecido (1750 - 1760). Museu Nacional do Azulejo, Lisboa; VITRAIS: - Autor desconhecido (séc. XVII). Palácio da Pena, Sintra.