quinta-feira, 26 de novembro de 2015

O TEATRO NUMA ALDEIA DA BEIRA / Cernache do Bonjardim / Do Theatro de Sernache ao Theatro Taborda


A capa do livro.

"O Teatro numa aldeia da Beira - Cernache do Bonjardim" é o título da mais recente obra de Pedro Marçal Vaz Pereira, a lançar pelas dezasseis horas e trinta minutos do próximo sábado, dia 28 de Novembro, no Clube Bonjardim, em Cernache do Bonjardim.
O evento abrirá com intervenções dos Presidentes da Câmara Municipal da Sertã e da Direcção do Clube Bonjardim. Segue-se a apresentação da obra pelo Professor Doutor Duarte Ivo Cruz, na sequência da qual falará o autor. Ocorrerá depois uma sessão de autógrafos e a cerimónia terminará com um cocktail.
A obra
A obra abre com Mensagens dos Presidentes da Câmara Municipal da Sertã, da União de Freguesias de Cernache do Bonjardim, Nesperal e Palhais e da Direcção do Clube Bonjardim. O Prefácio é do prestigiado teatrólogo Duarte Ivo Cruz quer nos diz: “Trata-se de um levantamento detalhado e sólido da tradição teatral em Cernache…” e mais adiante: “Tudo isto é historiado com detalhe e rigor no estudo de Pedro Marçal Vaz Pereira.”.
No Preâmbulo, o autor diz-nos que: “Quando me propus fazer este trabalho, tive como objectivo deixar a todos os beirões um espólio memorial importante, que de outro modo se poderia perder na memória do tempo.” E acrescenta: “Igualmente foi minha intenção deixar aos portugueses, a história de um teatro de província, que será, estou certo, a história de muitos outros, que por esse Portugal se foram formando e desenvolvendo no final do século XIX, princípios do século XX.”.

O Teatro Taborda no início do séc. XX .

A obra distribui-se por 5 capítulos: A origem do Teatro em Cernache do Bonjardim, O Club Bonjardim, Teatro Sernachense, Teatro Bonjardim, Teatro Taborda. Teve por base uma extensa bibliografia citada no final e contou com fontes documentais originárias do seu arquivo pessoal, do arquivo do Dr. Abílio Marçal, arquivo do Clube Bonjardim e de arquivos particulares de Cernache do Bonjardim, bem como do Arquivo Histórico da Câmara Municipal da Sertã e da Biblioteca Nacional.
O livro, profusamente ilustrado a cores e com design de Ana Paula Silva, tem capa dura, 21,6 cm x 30,6 cm, 334 páginas e 1750 g de peso. A edição é do Clube Bonjardim, com uma tiragem de 500 exemplares. O preço de lançamento é 15 euros, sendo posteriormente comercializado a 20 euros pelo Clube Bonjardim, pela Câmara Municipal da Sertã e pela Livraria Barata, na Avenida de Roma, em Lisboa.
O autor
O autor, filatelista eminente, escritor e jornalista filatélico, subscreve vasta colaboração em revistas e catálogos de exposições filatélicas, tanto em Portugal como no estrangeiro. Em 2005 publicou a obra em 2 volumes “Os Correios Portugueses entre 1853-1900. Carimbos Nominativos e Dados Postais e Etimológicos”, editado pela Fundação Albertino Figueiredo, de Madrid. Esta obra veio a ser complementada com um “Suplemento I”, editado em 2013. Neste mesmo ano, o autor publicou “As Missões Laicas em África na 1ª República em Portugal”, que foi distinguida com o Prémio Fundação Calouste Gulbenkian, História Moderna e Contemporânea de Portugal, atribuído pela Academia Portuguesa da História.

Pedro Marçal Vaz Pereira, o autor. 

É Presidente da Federação Portuguesa de Filatelia (FPF) desde 1987 e foi Presidente da Federação Europeia de Sociedades Filatélicas (FEPA) entre 2001 e 2009, assim como director das respectivas revistas “Filatelia Lusitana” e “FEPA News”.
Homenagem ao Dr. Abílio Marçal
A sessão de lançamento do livro será antecedida de uma Homenagem ao Dr. Abílio Marçal, bisavô do autor, a qual terá início pelas 16 horas. A cerimónia consistirá na recolocação de uma placa de homenagem ao Dr. Abílio Marçal, perto da casa onde viveu, junto à rotunda de D. Nuno Álvares Pereira, em Cernache do Bonjardim Esta placa foi oferecida em 1928 por amigos e admiradores do homenageado e esteve colocada durante várias décadas na casa onde viveu e viria a falecer.
O Dr. Abílio Corrêa da Silva Marçal (1867-1925), ilustre cernachense, foi Director do Instituto de Missões Coloniais e do respectivo Boletim das Missões Civilizadoras. Licenciado em Direito, exerceu a advocacia e militou no Partido Dissidente Progressista. Após a implantação da República aderiu ao Partido Democrático, ao lado de Afonso Costa de quem foi muito próximo. Em 1917 foi nomeado Secretário do Governo e exerceu o cargo de Presidente da Câmara dos Deputados, tendo recusado em várias ocasiões, o lugar de Ministro para o qual fora indigitado.