quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Poesia Portuguesa - 004



EXÍLIO
Sophia de Mello Breyner Andresen (1919-2004)

Quando a pátria que temos não a temos
Perdida por silêncio e por renúncia
Até a voz do mar se torna exílio
E a luz que nos rodeia é como grades

Sophia de Mello Breyner Andresen (1919-2004)