quarta-feira, 29 de julho de 2015

ASSOCIAÇÃO FILATÉLICA ALENTEJANA / O futuro começa agora


Parafraseando António Gedeão, é caso para dizer “… que sempre que um homem sonha / o mundo pula e avança…" E foi assim que há trinta e dois anos, um grupo de homens e mulheres desta terra transtagana, criaram uma colectividade de tipo novo, funcionando por objectivos e apostada em desafios geradores de dinâmicas capazes de envolver um espectro largo de pessoas de diferentes matizes culturais e ideológicos. E sempre foi assim, tendo-me a mim como homem do leme.
A colectividade nascida há trinta e dois anos tinha de ter um nome e foi assim que um de nós, fazendo de padre de serviço, a baptizou com o nome de Associação Filatélica Alentejana (AFA). Em boa hora o fez, uma vez que sempre nos revimos na identidade cultural alentejana, por dela termos consciência, o que nos levou a lutar pela sua preservação, valorização e aprofundamento.
A Associação Filatélica Alentejana assinalou em Maio passado o seu trigésimo segundo aniversário e a Filatelia desde sempre foi a matriz identitária da Associação, virada de um modo geral, para as actividades exposicionais, ainda que recorrendo a outras formas de animação cultural. Foi nesse devir constante que foram promovidas cerca de duas centenas de mostras e salões de Filatelia, Cartofilia, Coleccionismo, Artes Plásticas, Fotografia, Iconografia e Documentalismo. Paralelamente a estas foram desenvolvidas outras actividades em parceria com a Câmara Municipal de Estremoz, caso das Feiras de Coleccionismo, dos Jogos Florais e dos Encontros de Poetas Populares. Câmara Municipal que no decurso de muitos anos foi um sólido e o principal pilar de apoio da AFA. Como diria José Carlos Ary dos Santos, foram essas "As portas que Abril, abriu" e que viabilizaram a aposta da AFA num desassossego cultural integrante.
A actividade persistente, consequente e continuada da AFA, mereceu o reconhecimento da Federação Portuguesa de Filatelia, cujos órgãos competentes lhe atribuíram em Dezembro de 2004, a Medalha de Serviços Inestimáveis.
Mais recentemente, a actividade da AFA centrou-se em exposições de longa duração, visando a divulgação e fomento dos nossos valores culturais, nacionais, regionais e locais, muito em especial a Etnografia e a Memória de Estremoz. É assim que neste momento temos patente ao público no Centro Cultural de Estremoz, a exposição fotográfica “Cortejo Etnográfico de 1963”, as exposições de figurado de Estremoz “Alentejo do Passado” e “Traje Popular Português”, bem como a exposição de olaria “Vasilhame de barro de Estremoz”.
Na sua reunião do passado dia 15 de Julho, o Município de Estremoz, invocando necessidade de espaço para o Arquivo Municipal, aprovou a caducidade do Protocolo de Cedência de Espaço à Associação Filatélica Alentejana, a quem é dado o prazo de 30 dias para a entrega de instalações. Apetece-me de novo parafrasear António Gedeão, dizendo: “Eles não sabem, nem sonham, / que o sonho comanda a vida, / que sempre que um homem sonha / o mundo pula e avança / como bola colorida / entre as mãos de uma criança. E parafraseio também José Carlos Ary dos Santos, proclamando: “Agora que já floriu / a esperança na nossa terra / as portas que Abril abriu / nunca mais ninguém as cerra”.
O futuro começa agora.