domingo, 6 de outubro de 2013

Neo-realismo em Estremoz

Rosa de Guadalupe (1955).
Manuel Ribeiro de Pavia (1907-1957).
Gravura e lápis de cor sobre papel (31 cm x 24 cm).
Museu Municipal de Estremoz Prof. Joaquim Vermelho.

Abriu ontem ao público no Palácio dos Marqueses de Praia e Monforte, em Estremoz, a exposição “O Neo-realismo na colecção de desenho do Museu Municipal de Estremoz Prof. Joaquim Vermelho”. O certame estará patente ao público até ao próximo dia 29 de Dezembro, podendo ser visitado de terça a domingo, das 9 h às 13 h e das 14 h às 18 h. A entrada é livre.
Ali estão expostas 35 obras de 20 artistas plásticos neo-realistas, assim distribuídas: António Domingues (1), Augusto Gomes (1), Avelino Cunhal (1), Cipriano Dourado (1), Clementina Moura (1), Dórdio Gomes (1), Espiga Pinto (1), João Abel Manta (1), João Hogan (1), Jorge Vieira (4), José Augusto Pereira (1), José Dias Coelho (1), Júlio (1), Júlio Rezende (4), Lagoa Henriques (1), Lima de Freitas (2), Manuel Ribeiro de Pavia (2), Maria Keil (4), Querubim Lapa (1) e Rogério Ribeiro (4).
Trata-se de trabalhos executados entre 1937 e 1983, abrangendo técnicas tão diversas como: acrílico sobre papel, aguarela sobre papel, carvão sobre papel, gravura e lápis de cor sobre papel, lápis de cor sobre papel, lápis e tinta-da-china sobre papel, lápis sobre papel, tinta-da-china e guache sobre papel, tinta-da-china e aguarela sobre papel, tinta-da-china sobre papel e óleo sobre tela.
Visando contextualizar o neo-realismo, estão ainda expostas obras de escritores neo-realistas portugueses, pertencentes ao acervo da Biblioteca Municipal de Estremoz.
Desde ontem e até ao próximo dia 29 de Dezembro, a rota de conhecimento do neo-realismo passa por Estremoz. A cidade fica aguardando a vossa visita.