terça-feira, 25 de dezembro de 2012

A gestação das palavras

We are made of words. Imagem de Anairb Black. 

As palavras que recebemos, as palavras que gritamos ou lavramos, são palavras que traduzem o que nos vai na alma. Todavia, para além delas, há palavras ainda não criadas pelo laboratório do pensamento e por isso indisponíveis no arsenal da memória. Daí que não possam brotar límpidas e inteligíveis no nosso cardápio linguístico. Fazem-nos falta para traduzir uma ideia, transmitir uma emoção ou revelar um sentimento. Porém ainda não existem. São como que Adão e Eva, antes do “Auto da Criação do Mundo”. Contudo, as ideias, as emoções e os sentimentos, ainda que órfãos de palavras descritoras, permanecem perenes, à procura das palavras libertadoras, que lhes permitam emergir do limbo em que se encontram. Quando tal acontecer, ocorrerá uma mudança de paradigma, em que a alquimia das palavras escritas ou faladas, gerará a infinitude do tudo a partir da vaziez do quase-nada.