sábado, 16 de julho de 2011

A tradição da água das sete fontes

Estremoz - Fonte do Espírito Santo (1891). Fotografia de C.J. Walowski.



                                                                           À minha filha Catarina:

No Alentejo, como aliás noutras regiões do país, era tradição recolher água de sete fontes na manhã de S. João (24 de Junho), porque a água assim obtida, era uma água repleta de virtudes. Porquê sete fontes e não outro número qualquer? A resposta a esta questão, leva-nos a abordar, ainda que de relance, o simbolismo associado aos números.
O número um tem a ver com o poder supremo e absoluto, com a responsabilidade exclusiva e a lógica univalente. Para os pitagóricos, o número um, origem de todos os números, representa a razão, por ser imutável.
O número dois tem a ver com a partilha e a complementaridade de funções, com a lógica binária do sim ou não. Para os pitagóricos, o número dois representa a opinião ou o conflito, a oposição e a imobilidade momentânea, quando as forças são iguais.
Por sua vez, o número três representa a síntese espiritual, a resolução do conflito colocado pelo dualismo. Quanto ao número quatro representa a justiça, por ser um quadrado perfeito, o produto de dois factores iguais.
Já o número cinco representa o casamento, por ser a soma do primeiro número par (o número dois, considerado feminino) com o primeiro número ímpar (o número três, considerado masculino).
No que respeita ao número seis, este é considerado um número perfeito, por ser igual à soma dos seus divisores (um, dois e três).
Finalmente, porque a nossa análise ficará por aqui, para os pitagóricos, o número sete é um número sagrado, considerado mágico como todos os números ímpares. Resulta da união (soma) do ternário (três) com o quaternário (quatro). Simboliza a ordem completa, o período, o ciclo.
O número sete como união do número três com o número quatro, regista forte presença na Filosofia e Literatura sagrada desde a Antiguidade. O número três, representado geometricamente por um triângulo (A Santíssima Trindade) e o número quatro, representado por um quadrado (A matéria, isto é, os elementos do mundo físico: terra, água, ar e fogo). Daí que o número sete represente o espírito encarnado ou seja o espírito sustentado pela matéria.
Constatado o carácter mágico e sagrado do número sete, que representa a ordem completa, compreende-se a crença popular de que a água de sete fontes, estivesse dotada de virtudes.
À luz dos conhecimentos científicos actuais, sabe-se que a composição química de uma água, varia de fonte para fonte, podendo faltar numa, os sais minerais indispensáveis a um bom funcionamento do organismo, os quais, em contrapartida, podem existir noutra. Daí que a mistura da água de sete fontes, confira virtudes à água.