quinta-feira, 19 de maio de 2011

O sentido da visão: Alcunhas Alentejanas e Toponímia

São belos os olhos de mulher, que na vastidão da charneca alentejana invocam a vastidão do mar e a sede de infinitos. Ilustração de Manuel Ribeiro de Pavia (1907-1957) para o livro “Alentejo não tem sombra” de Eduardo Teófilo, Portugália Editora, 1954.

PREÂMBULO
No desenvolvimento do tema “O sentido da visão” ; efectuámos até á presente data edição dos posts:
Chegou agora a altura de editar o post:
- O sentido da visão: Alcunhas Alentejanas e Toponímia
Comecemos pelas:
ALCUNHAS ALENTEJANAS
No âmbito das alcunhas alentejanas, o sentido da visão está amplamente representado através de diversos termos e seus derivados, assim contabilizados: cego (1), luz (3), olho (32), vista (2) e zarolho (2):
- CEGO (A) – Alcunha outorgada a quem, ao andar, está sempre a encalhar com as coisas e parece que não vê (Montemor-o-Novo).
- LUZEIR0 – Na época em que surgiu o jornal local “Luzeiro”, o visado informava os colegas de tudo (Barrancos).
- LUZINHA (Barrancos).
- LUZIRAS – O receptor viveu num monte com este nome (Grândola).
- OLHA GALINHAS - O visado recebeu esta alcunha porque trabalhava para uma patroa que todos os dias o mandava "olhar as galinhas a ver se tinham ovos" (Portalegre).
- OLHICO - A visada adquiriu esta alcunha porque tinha um olho de vidro (Beja e Moura).
- OLHINHO AZUL - O receptor, quando era bebé, era posto ao colo da mãe, que dizia: "Ai meu olhinho azul! Ai meu olhinho azul!" (Aljustrel).
- OLHINHO DE BOGA - O alcunhado tem este nome porque tem os olhos saídos para fora (Arraiolos); designação atribuída a indivíduo que tem muita falta de vista (Mértola); designação atribuída a quem tem "olhos de peixe" (Campo Maior).
- OLHINHO DE CALIÇO (Moura).
- OLHINHO DE CESIRÃO (Portel).
- OLHINHO DE GAIO (Vidigueira).
- OLHINHO DE GALO (Campo Maior).
- OLHINHO DE PANO CRU - O visado ganhou esta denominação porque tem os olhos muito pequenos (Vidigueira).
- OLHINHO DE PREGADEIRA - Epíteto aplicado a um sujeito que tem um olho mais pequeno do que o outro (Santiago do Cacém).
- OLHINHO DE SOL (Castro Verde).
- OLHINHO DE VIDRO - O nomeado ficou com este cognome porque tem os olhos muito azuis (Redondo).
- OLHINHOS - Alcunha outorgada a um indivíduo que usa uns óculos muito graduados (Grândola); sobrenome atribuído a mulher que só usa blusas com bolinhas (Almodôvar); o visado tem os olhos muito grandes (Elvas, Redondo).
- OLHINHOS DE RATO – Cognome conferido a um sujeito que tem os olhos muito pequenos (Aljustrel).
- OLHO À GATA - Epíteto atribuído a um indivíduo que tem os olhos azuis (Serpa).
- OLHO AZUL - Designação conferida a um indivíduo que tem um olho azul e outro castanho (Aljustrel); o visado tem os olhos azuis (Castro Verde, Grândola, Moura e Portel).
- OLHO CEGO - O alcunhado adquiriu esta alcunha porque ficou com um olho inutilizado, quando caiu em cima de arame farpado (Nisa).
- OLHO DE BOGA - O visado recebeu esta alcunha porque acham que tem os olhos salientes (Aljustrel). OLHO DE BOI - O alcunhado tem os olhos grandes e a mulher foi-lhe infiel (Alcácer do Sal); sujeito que tem os olhos muito grandes (Ferreira do Alentejo, Montemor-o-Novo e Reguengos de Monsaraz).
- OLHO DE CHITA - Denominação outorgada a um indivíduo que tinha um olho azul e outro castanho (Castelo de Vide).
- OLHO DE LATA - O visado adquiriu esta denominação porque tem os olhos muito azuis (Moura).
- OLHO DE MEIO QUILO - Designação atribuída a um indivíduo que tinha os olhos tão grandes, que até assustavam as crianças (Moura).
- OLHO DE POLVO - Sobrenome outorgado a um homem que tem um olho todo branco (Sines).
- OLHO DE PORCO - (Alter do Chão).
- OLHO DE SOLA - Epíteto atribuído a um indivíduo que era sapateiro (Aljustrel).
- OLHO DE VIDRO - O nomeado ficou com esta alcunha porque tinha um olho artificial (Elvas e Évora).
- OLHO VIVO - Alcunha atribuída a um sujeito parecido com um personagem da série televisiva homónima (Aljustrel).
- OLHOS - Cognome atribuído a um sujeito que tem os olhos muito grandes (Beja).
- OLHOS DE BRUNHO - Alcunha conferida a um indivíduo que tinha os olhos muito grandes e muito abertos (Moura).
- OLHOS DE GATO - O visado recebeu esta denominação porque tem os olhos verdes (Santiago do Cacém).
- OLHOS DE RÃ – Designação atribuída a um indivíduo que tem os olhos pequenos (Aljustrel).
- OLHUDO - O visado tem os olhos muito grandes. (Aljustrel).
- VISTA CURTA – Designação atribuída a sujeito que é míope (Santiago de Cacém).
- VISTAS (Serpa).
- ZAROLHA – A alcunhada é cega de um olho (Ourique).
- ZAROLHO (A) – O visado é homem ou mulher que tem a vista torta (Évora, Grândola, Mértola, Odemira, Ourique, Santiago de Cacém, Avis e Campo Maior).
TOPONÍMIA
A nível da toponímia, o sentido da visão está avantajadamente representado através de múltiplos termos e seus derivados, os quais integram topónimos de cidades, freguesias, lugares, nascentes de água e bairros, com a seguinte distribuição:
- OLHO: cidades (1), freguesias (3), lugares (17), nascentes (2);
- VISTA: freguesias (1), lugares (208);
- LUZ: freguesias (5), aldeias (1), lugares (10);
- CEGO: bairros (1);
Observou-se um pico, extraordinariamente elevado, no âmbito do termo “BOAVISTA”, englobado em “VISTA” e inserido na classificação “LUGARES”.
Em todas as considerações de toponímia que se seguem, o topónimo inserido num parêntesis curvo é concelho e o que o antecede, é a freguesia. Os topónimos foram por nós, assim hierarquizados:
CIDADES
- OLHÃO — Cidade, sede de concelho, de comarca e de freguesia. Distrito de Faro.
FREGUESIAS
- BOAVISTA - Freguesia do concelho de Leiria.
- LUZ – Freguesia do concelho de Lagos.
- LUZ – Freguesia do concelho de Mourão.
- LUZ – Freguesia do concelho de Tavira.
- LUZINDE - Freguesia do concelho de Penalva do Castelo.
- LUZIO - Freguesia do concelho de Monção.
- OLHALVO - Freguesia do concelho de Alenquer.
- OLHO MARINHO – Freguesia do Concelho de Óbidos.
- OLHOS DE ÁGUA – Freguesia do concelho de Albufeira.
ALDEIAS
ALDEIA DA LUZ - Concelho de Mourão.
LUGARES
- BELA VISTA - Águas Belas (Ferreira do Zêzere), Ribeira de Pena (Ribeira de Pena), Este (Braga), S. Pedro da Cova (Gondomar).
- BOAVISTA - A dos Cunhados (Torres Vedras), Águas Belas (Ferreira do Zêzere), Ajude (Póvoa de Lanhoso), Aldreu (Barcelos), Alegrete (Portalegre), Almargem do Bispo (Sintra), Alterco (Monchique), Alvarenga (Arouca), Alvorninha (Caldas da Rainha), Ancede( Baião), Arcozelo (Ponte de Lima), Arcozelo (Vila Nova de Gaia), Aregos – S.Romão (Resende), Arouca (Arouca), Ataíde (Amarante), Avis (Avis), Banho e Carvalhos (Marco de Canaveses), Barbudo (Vila Verde), Barro (Resende), Barrosas - Santa Eulália (Lousada), Barrosas - Santo Estevão (Lousada), Beire (Paredes), Benedita (Alcobaça), Besteiros (Paredes), Bitarães (Paredes), Caíde de Rei (Lousada), Capelo (Amarante), Carvalhosa (Paços de Ferreira), Ceide – S. Paio (Vila Nova de Famalicão), Celeiros (Braga), Cercal (Santiago de Cacém), Constance (Marco de Canaveses), Couço (Coruche), Courel (Barcelos), Crato (Crato), Crespos (Braga), Cruz (Vila Nova de Famalicão), Cumieira (Penela), Esmeriz (Vila Nova de Famalicão), Esmoriz (Ovar), Espargo (Feira), Esperança (Arronches), Este – S. Mamede (Braga), Ferreiros (Braga), Ferreiros de Avões (Lamego), Figueira (Paços de Ferreira), Folhada (Marco de Canaveses), Formaria (Paredes de Coura), Fornelos (Barcelos), Fornos (Feira), Fortios (Portalegre), Fradelos (Vila Nova de Famalicão), Fraião (Braga), Frazão (Paços de Ferreira), Freamunde (Paços de Ferreira), Frezim (Amarante), Galveias (Ponte de Sor), Gandarela (Guimarães), Gémeos (Celorico de Basto), Geraz do Lima - Santa Leocadia (Viana do Castelo), Geraz do Lima - Santa Maria (Viana do Castelo), Gestacô (Baião), Góis (Góis), Gomes Aires (Almodôvar), Gonçalo (Guarda), Gondalães (Paredes), Gondar (Guimarães), Gondarém (Vila Nova de Cerveira), Gondomar (Guimarães), Grijó (Vila Nova de Gaia), Gualtar (Braga), Idães (Felgueiras), Insalde(Paredes de Coura), Jazente(Amarante), Lanhas (Vila Verde), Lavos (Figueira da Foz), Longos (Guimarães), Lordelo (Guimarães), Louredo (Vieira do Minho), Macieira da Lixa (Felgueiras), Maiorga (Alcobaça), Marinha Grande (Marinha Grande), Maureles (Marco de Canaveses), Mazedo (Monção), Medrões (Santa Marta de Penaguião), Melrea (Gondomar), Mesâo Frio (Guimarães), Milharado (Mafra), Mire de Tibães (Braga), Modelos (Paços de Ferreira), Mogege (Vila Nova de Famalicão), Mora (Mora), Negrelos – S. Mamede (Santo Tirso), Nespereira (Lousada), Nevogilde (Lousada), Nogueira (Lousada), Odeceixe (Algezur), Oleiros (Ponte da Barca), Oliveira – S. Mateus (Vila Nova de Famalicão), Oliveira - Santa Maria (Vila Nova de Famalicão), Oliveira (Amarante), Oliveira (Barcelos), Oliveira do Douro(Cinfães), Paços (Cabeceiras de Basto), Paços (Fafe), Paços da Ferreira (Paços da Ferreira), Pedreira (Felgueiras), Pedroso (Vila Nova de Gaia), Pencelo (Guimarães), Perosinho (Vila Nova de Gata), Pias (Lousada), Pico de Regalados (Vila Verde), Ponte (Guimarães), Portimão (Portimão), Queijada (Ponte de Lima), Quelfes (Olhão), Rebordões (Santo Tirso), Redinha (Pombal), Regadas (Fafe), Resende (Resende), Riba de Ave (Vila Nova de Famalicão), Ribeirão (Vila Nova de Famalicão), Rio de Moinhos (Borba), Rio de Mouro (Sintra), Rio Tinto (Gondomar), Roliça (Bombarral), Ronfe (Guimarães), Ruivãs (Vila Nova de Famalicão), S. Brás e S. Lourenço (Elvas), S. Cristóvão de Nogueira (Cinfães), S. Luís (Odemira), S. Torcato (Guimarães), Salreu (Estarreja), Sanche (Amarante), Sanguedo (Feira), Santa Catarina da Fonte do Bispo (Tavira), Santa Clara de Louredo (Beja), Santa Eulália (Arouca), Santa Margarida (Lousada), Santa Maria (Lagos), Santa Maria de Sardoura (Castelo de Paiva), Santa Maria do Castelo (Alcácer do Sal), Santa Marinha (Ribeira de Pena), Santiago da Guarda (Ansião), Santiago de Subarrifana (Penafiel), Sequeira (Braga), Sermonde (Vila Nova de Gaia), Sernande (Felgueiras), Serpins (Lousa), Serzedo (Vila Nova da Gaia), Silvares – S. Martinho (Fafe), Silvares (Lousada), Silveira (Torres Vedras), Soalhães (Marco de Canaveses), Sobrado (Castelo de Paiva), Solho – S. Jorge (Guimarães), Sousa (Felgueiras), Sousela (Lousada), Tabaçô (Arcos de Valdevez), Tarouquela (Cinfães), Telões (Amarante), Terroso (Póvoa de Varzim), Torno (Lousada), Valença (Valença), Valongo (Valongo), Várzea (Felgueiras), Varziela (Felgueiras), Vila Caiz (Amarante), Vila Chão do Marão (Amarante), Vila Cova da Lixa (Felgueiras), Vila Fria (Felguetras), Vila Maior (Feira), Vila Marim (Mesão Frio), Vizela – S. Jorge (Felgueiras), Vizela - Santo Adrião (Felgueiras).
- BOAVISTA DA ESTRADA - Arcozelo (Vila Nova de Gaia).
- BOAVISTA DE BAIXO — Aljubarrota - Prazeres (Alcobaça).
- BOAVISTA DE BAIXO — Igreja Nova (Mafra).
- BOA VISTA DE CIMA — Aljubarrota – Prazeres (Alcobaça).
- BOAVISTA DE CIMA — Castelões (Penafiel).
- BOAVISTA DE CIMA — Igreja Nova (Mafra).
- BOAVISTA DO MEIO — Aljubarrota – Prazeres (Alcobaça).
- LUZEIRO - Santo António doa Olivais (Coimbra).
- LUZELAS - Murzagão (Carrazeda de Ansiães).
- LUZELOS - Colmeal (de Castelo Rodrigo).
- LUZENCA - Real (Castelo de Paiva).
- LUZENÇAS - Luzio (Monção).
- LUZENDA DE ALÉM – Góis (Gós).
- LUZES - Ovar (Ovar).
- LUZIANES - Sabóia (Odemira), Santa Maria (Odemira).
- LUZINDININHO - Luzinde (Penalva do Castelo).
- LUZIO - Fornos (Castelo de Paiva), Bico (Paredes de Coura).
- OLHADELA - Limões (Ribeira de Pena).
- OLHAS - Ferreira do Alentejo (Ferreira do Alentejo).
- OLHEIRÃ - Almoster (Alvaiázere).
- OLHEIRO - Alferce (Monchique, Arnoso (Santa Eulália) (Vila Nova de Famalicão), Creixomil (Barcelos), Folgoso(Maia), Gandra (Ponte de Lima), Monchique (Monchique), Sines (Sines), Vilarelho (Caminha).
- OLHEIROS - Aljubarrota (S. Vicente) (Alcobaça), Brotas (Mora), Coruche (Coruche), Rendufe (Amares), Santo André (Santiago de Cacém), S. Pedro e Santiago (Torres Vedras), Vermoil (Pombal).
- OLHEIROS DA SERRA - Maçãs de D. Maria (Alvaiázere).
- OLHITOS - Mexilhoeira Grande (Portimão).
- OLHO - Cadima (Cantanhede), Serpins (Cantanhede). Rebordões (Santo Tirso).
- OLHO-BRANCO - Algezur (Algezur).
- OLHO-D'AGUA - Salreu (Estarreja), S. Clemente (Loulé).
- OLHO-DE-BOI - Cacilhas (Almada), S. Paulo de Frades (Coimbra), S. Vicente (Abrantes).
- OLHO-DE-MOURO - Vila Cova de Carros (Paredes).
- OLHO DE S. CAETANO - Cantanhede (Cantanhede.
- OLHO-MARINHO - Freguesia do concelho de Óbidos.
- OLHO-MABINHO - Arada (Ovar), Vila Nova de Poiares (Vila Nova de Poiares).
- OLHOS-DE-ÁGUA - Albufeira (Albufeira), N.ªS.ª da Anunciada (Setúbal), Pinhal ovo (Palmela), Quinta do Anjo (Palmela), S. Salvador da Aramenha (Marvão).
- OLHOS NEGROS – Monchique (Monchique).
- VISTA ALEGRE - Tabuado (Marco de Canaveses), Sobretâmega (Marco de Canaveses), Figueiró (Paços de Ferreira), Freamunde (Paços de Ferreira), Cete (Paredes), Alpendurada e Matos (Marco de Canaveses, Santa Eulália (Arouca), Fermentões (Guimarães), Oliveira - Santa Maria (Vila Nova de Famalicão), Ceide - S. Paio (Vila Nova de Famalicão), Nespereira (Cinfães), Ílhavo (Ílhavo), Rio de Moinhos (Penafiel), Santo António dos Olivais (Coimbra), Raiva (Castelo de Paiva), Real (Castelo de Paiva). Porventura o mais famoso lugar com a designação de VISTA ALEGRE, será o do concelho de Ílhavo, por ali ter sido fundada em 1824, a Fábrica da Vista Alegre, graças à iniciativa de José Ferreira Pinto Basto (1774-189), industrial, lavrador, político e fidalgo da Casa Real.
- VISTA AUSENTE - Fermentões (Guimarães).
- VISTORIA - Perosinho (Vila Nova de Gaia).
NASCENTES DE ÁGUA
- OLHOS-DE-ÁGUA – Nascente do rio Alviela, situada na freguesia de Louriceira, no concelho de Alcanena. É uma das nascentes mais importantes do nosso país, pois chega a debitar 17 mil litros por segundo. Desde 1880 até praticamente à actualidade, foi uma das principais fontes de abastecimento de água à cidade de Lisboa.
- OLHO D’ÁGUA – Nascente da freguesia de olho Marinho, concelho de Óbidos, com propriedades medicinais semelhantes às das Caldas da Rainha.
BAIRROS
- ARCO DO CEGO – Lisboa.
CONCLUSÃO
De novo, uma abordagem efectuada em termos de literatura oral, centrada num tema aparentemente estéril, revela uma enorme vastidão, reveladora da riqueza da língua portuguesa, que nenhum acordo ortográfico malquisto, conseguirá cercear.
BIBLIOGRAFIA
[1] – FRAZÃO, A. C. Amaral. Novo Dicionário Corográfico de Portugal. Editorial Domingos Barreira. Porto, 1981.
[2] - RAMOS, Francisco Martins; SILVA, Carlos Alberto da. Tratado das Alcunhas Alentejanas. 2ª edição. Edições Colibri. Lisboa, 2003.