quinta-feira, 27 de julho de 2017

Município de Estremoz adquiriu mais uma varredoura


Rebanho de ovelhas e cabras a pastar num passeio em Mendeiros.
Fotografia de Miguel Silva.    

Comunicado de Imprensa
No passado dia 11 de Julho, o Município de Estremoz emitiu um curto comunicado de imprensa, subordinado ao título supra e que reproduzo na íntegra.
“Para manter um concelho mais limpo, o Município de Estremoz adquiriu, recentemente, mais uma varredora mecânica.
Esta aquisição vai reforçar a limpeza não só da cidade, como de todo o concelho, continuando o Município de Estremoz a contar com a colaboração e consciencialização da população e visitantes, pois só assim será possível mantê-lo limpo e organizado.
“Um concelho limpo com a colaboração de todos”, é um direito seu e um dever da autarquia e da população!”
Naquela data, o comunicado de imprensa foi também editado no Facebook do Município.

Reacções no Facebook
As reacções no Facebook não se fizeram esperar e logo começaram a surgir comentários, os quais foram mesmo subindo de tom. Esses comentários têm todos um traço comum. Os seus autores consideram que a cidade nunca esteve tão suja como agora, com ervas a crescer por toda a parte, as sarjetas a precisarem de ser limpas e os contentores a cheirarem mal. Dizem que são situações incómodas para os moradores e que dão uma péssima imagem da cidade a quem nos visita.
Há quem considere inadequada a distribuição de contentores de lixo e de ecopontos, o que faz com que os moradores num caso depositem sacos de lixo ao lado dos contentores e noutros casos depositem nestes, o que devia ser vertido em ecopontos.
É convicção generalizada que a aquisição de mais uma varredoura mecânica não resolve o problema, pois há muitos locais onde a mesma não consegue aceder. Não limpa os passeios nem zonas comuns em urbanizações, nem descampados, nem espaços verdes. Só serve para limpar ruas alcatroadas ou calcetadas. Os comentadores crêem que seria preferível contratar pessoal (varredores e varredouras de carne e osso), que resolvessem o problema à maneira tradicional, o que além do mais permitiria criar alguns postos de trabalho, o que seria bastante positivo num concelho onde a oferta de emprego é escassa.
A aquisição da varredoura mecânica pelo Município é encarada ainda com desconfiança e vista como forma de promoção do actual executivo municipal, relativamente às eleições autárquicas de Outubro próximo. É que a visibilidade da varredoura mecânica é superior à dos varredores e varredoras e como anda todo o dia a passear é mais eficaz em termos de propaganda.
Fora do Facebook, as opiniões dos Zés e das Marias desta terra parece andar à volta do mesmo. As pessoas estão fartas de propaganda municipal a dizer que “Estremoz tem mais encanto” e querem é ver a cidade limpa como deve ser. Têm o direito de usufruir a cidade limpa, assim como o executivo municipal tem o dever de assegurar que assim seja. É não só caso para dizer: “Cada macaco no seu galho!”, como é legítimo concluir que ao marketing municipal lhe saiu o tiro pela culatra.


 Uma situação corrente nas Mártires.
Fotografia de Francisca de Matos
 Lixo depositado no chão, junto a um contentor em Mendeiros.
Fotografia de Filipe Araújo.
 A nova varredoura mecânica publicitada pela CME no passado dia 11 de Julho. 
Fotografia do Município de Estremoz.