domingo, 4 de dezembro de 2016

Qual geringonça, qual carapuça!



"Os políticos e as fraldas devem ser mudados frequentemente e pela mesma razão" é uma máxima de Eça de Queiroz, que esteve na base da gestação da minha crónica “RECEITA PARA FAZER UMA GERINGONÇA”, publicada no jornal E, nº 158, de 28 de Julho passado. Aí divulguei uma receita para fazer uma geringonça que afastasse o MIETZ do poder, visto a sua gestão autárquica ser rejeitada unanimemente pelo PS, pela CDU e pelo BE. A sugestão caiu em saco roto, tudo leva a crer que por determinação dos respectivos cemitérios centrais, a que haverá a acrescentar desconfianças mútuas a nível local, bem como a vontade de afirmação de alguns jovens turcos. Daí que tenha escrito uma carta ao Pai Natal. 

Carta ao Pai Natal
Caro Pai Natal: Esta carta tem a finalidade de te pedir algumas prendas. Não se destinam a mim, mas a um grupo de amigos do Partido Socialista de Estremoz, que te vou explicar o que é. Trata-se de um partido com uma bandeira da cor da tua vestimenta, ainda que mais desmaiada e a dar para o cor-de-rosa. Aliás, a bandeira tem uma rosa no meio, para simbolizar o amor pelo Povo. Dantes tinha um punho fechado que dava a impressão de que queriam dar uma carga de porrada nas pessoas e tiveram que mudar, para dar um aspecto mais manso.
Sabes porque é que peço as prendas para eles? É que eles são meus companheiros de estrada, assim como tu com as renas, pois percorrem o mesmo caminho juntos. Passa-se o mesmo, entre mim e eles. Apesar de tudo, existem algumas diferenças, as quais passo a explicitar:
- PRIMEIRA – Tu e as renas são de espécies diferentes. Eu e eles, somos da mesma espécie.
- SEGUNDA – No teu caso, vais refastelado a andar de trenó e as renas é que puxam. No meu caso, vamos todos a pé e quem puxa sou eu, muitas vezes com fraco resultado em termos de caminhada. É que o PS é um partido plural. Uns usam avental, outros vão à missa dominical e outros nem uma coisa nem outra. Entre eles têm tendência de caminhar cada um para o seu lado, pelo que é difícil caminharem uns com ou outros, quanto mais comigo. Todavia, eu que não sou homem para desistir, insisto em querer caminhar com eles. Daí afirmar que são meus companheiros de estrada. A velocidade de marcha, essa é pequena. Ás vezes mais parece a velocidade dum caracol em marcha-atrás. Mas enfim, tenho esperança na mudança e trabalho para isso.
Caro Pai Natal: Agora que já sabes o que é o Partido Socialista de Estremoz e o que são companheiros de estrada, envio-te em anexo a relação, onde à frente do nome de cada um, indico a prenda que peço lhes entregues neste Natal. É que eles merecem, pois é tudo boa rapaziada. Chamo-te a atenção especial para a prenda que peço ofereças ao Presidente da Comissão Política do PS de Estremoz. Trata-se de um manual de paciência chinesa e uma varinha mágica, daquelas que são usadas pelos ilusionistas. Destina-se a exercer uma tripla missão: a de conduzir com êxito as hostes do PS local, tirar da cartola um candidato forte à Câmara Municipal de Estremoz e zurzir naqueles que se tornaram ou vierem a tornar vira-casacas.
Esta carta já vaio longa, pelo que vou terminar. Recebe uma forte tanganhada do FRANCO-ATIRADOR. 

Ao PS de Estremoz
Caros amigos: Sugiro-vos que à noite, antes de se deitarem, rezem todos, inclusive os do avental, 4 Pais Nossos, muito bem rezadinhos, pois 4 é o número de vereadores que o PS precisa de ter para ganhar as próximas eleições autárquicas para a Câmara Municipal de Estremoz. Estou certo que Deus ou o Supremo Arquitecto do Universo ou lá o que é, não deixará de ouvir as vossas preces. Se não resultar, o que espero não venha a acontecer, para a próxima têm de rezar com mais fervor. Por agora fico por aqui. Para vocês todos, um fraternal abraço laico e republicano do FRANCO-ATIRADOR.