domingo, 7 de agosto de 2016

55 – O aguadeiro - 6


Aguadeiro.
Irmãs Flores.
Colecção particular.

Arte portuguesa
Pelo menos desde o início do séc. XIX que a figura do aguadeiro marca presença na arte portuguesa. Passo a enumerar os registos identificados:
- PINTURA: - AGUADEIRO (Alentejo - séc. XIX-XX). Óleo sobre tela de José Malhoa. - MARVÃO (1906). Aguarela de Alfredo Roque Gameiro. - POÇO DE ALJUSTREL (s/data). Aguarela de Alberto de Souza.
- GRAVURA: - LITOGRAFIAS AGUARELADAS DA COLECÇÃO “VENDILHÕES”, DE MANUEL DA SILVA GODINHO, 1806: - Aguadeiro de Lisboa; - Aguadeiro de Lisboa com o seu burro; - LITOGRAFIA AGUARELADA DE “COSTUME OF PORTUGAL”, DE H. L'ÉVÊQUE, 1814: - Aguadeiro de Lisboa; - ÁGUAS-TINTAS DE “PORTUGAL ILLUSTRATED” DE W. M. KINSEY, 1829: - Gallego or water carrier of Lisbon; - Gallego or water carrier of Porto; - LITOGRAFIAS AGUARELADAS DA COLECÇÃO “PALHARES”, 1ª SÉRIE, ENTRE 1840 E 1887: - Nº 27 – Agoadeiro na cidade do Porto; - Nº 44 – Aguadeiro de Faro; - LITOGRAFIAS AGUARELADAS DA COLECÇÃO “PALHARES”, 2.ª SÉRIE, CA. 1850: - Nº 27 – Aguadeiro do Porto; - Nº 44 – Aguadeiro de Faro; - Nº 49 – Aguadeiros na cidade de Lisboa; - LITOGRAFIAS AGUARELADAS DE “COSTUMES PORTUGUESES” DE MANUEL DE MACEDO, CA. 1850: - Aguadeiro; - Aguadeiro Alentejano;
- AZULEJARIA: Painéis azulejares policromáticos da autoria de Alves de Sá, fabricados na Fábrica de Cerâmica da Viúva Lamego, em Lisboa (1940) e que revestem paredes da Estação da CP em Estremoz: - Fonte das Bicas e aguadeiros no Largo General Graça; - Fonte do Largo do Espírito Santo e aguadeiro; - Aguadeiro na subida da rua do arco de Santarém, em direcção ao Castelo;
Cartofilia portuguesa
Também a nível da cartofilia surgem exemplares, nos quais aparece a figura o aguadeiro. Identifiquei bilhetes-postais ilustrados das seguintes edições: - A EDITORA (3ª série), reproduzindo desenhos a tinta-da-china aguarelada, de Alberto de Souza, do início do séc. XX: - LARGO DAS PORTAS DE MOURA (EVORA); - CONDUCÇÃO DE AGUA (BEJA); - A EDITORA (5ª série), reproduzindo desenhos a tinta-da-china aguarelada, de Alberto de Souza, do início do séc. XX: - Types populaires de Lisbonne. AGUADEIRO (Porteur d’eau); - FAUSTINO ANTÓNIO MARTINS (Lisboa), do início do séc. XX: - Nº 2 – LISBOA. Typos das ruas. O AGUADEIRO (Porteur d’eau); - ALBERTO MALVA (Lisboa), do início do séc. XX: - Nº 26 - Costumes do Alemtejo: O Aguadeiro; - EDITOR NÃO IDENTIFICADO (s/local), do início do séc. XX: - Costumes de Portugal. Aguadeiro; - ANTÓNIO CRISÓGONO DOS SANTOS (Lagos), do início do séc. XX: - Nº 79 - Um aguadeiro; - LIVRARIA E PAPELARIA NAZARETH (Évora), ca. 1930, reproduzindo quadro de Dordio Gomes: - Costume do Alemtijo “Os Ceifeiros”; - BRADOS DO ALENTEJO (Estremoz), anos 30 do séc. XX: - Lago do Gadanha; - ALVES E SIMÕES, LDA (Estremoz), anos 30 do séc. XX: - Fonte das Bicas; - CÂMARA MUNICIPAL DE ESTREMOZ, anos 40 do séc. XX: - ESTREMOZ - Largo do General Graça; - ESTREMOZ – Fonte das Bicas e Quartel de Cavalaria; - ESTREMOZ – Torre das Couraças.

Hernâni Matos