quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Circular é preciso

Fig. 1

A rua onde cada um de nós mora é um microcosmo, onde diariamente se desenrolam acontecimentos que a tornam diferente das outras. No meu caso, moro na rua de Santo André e dela vos passo a falar.
Ao fundo da rua, do lado direito, há um sinal de estacionamento proibido, já que a partir dali a rua é mais estreita (Fig. 1). Mas qual quê? Estaciona-se até à esquina, criando dificuldades a quem quer sair da rua, já que circular é preciso…
Do lado esquerdo da rua há estacionamento indevido em cima do passeio, desde o princípio da rua até para além do meio (Fig. 1), o que além de criar dificuldades aos peões, tranca automóveis que estão devidamente estacionados e que se vêem impossibilitados de sair. Por isso, de vez em quando, há concertos de buzina que são um regalo de ouvido. É que circular é preciso
Ainda do lado esquerdo da rua existem quatro contentores de lixo e um vidrão que lá vai cumprindo a sua missão (Fig. 2). Os contentores é que não. Basta olhar para o seu conteúdo, para concluir que o comércio da rua não recicla, tanto papel como plástico. E isto quando há dois ecopontos próximos. É que circular é preciso…
Quanto à calçada da rua, está bastante irregular, já que sob ela existem esgotos de laje que remontam ao princípio do século passado. Com o trânsito de veículos pesados, as lajes cedem e chegam a rebentar com alguma frequência canos de água, que também os há por ali. Isso faz com que ocorram cortes de água e se tenha que remover a calçada, a fim de resolver temporariamente o problema, o qual só será solúvel com a instalação de uma nova rede de saneamento básico. Por vezes, a reposição da calçada não é imediata (Fig. 3), o que cria dificuldades aos peões, que já tinham as covas da calçada para se preocuparem. A calçada necessita de uma regularização urgente, porque circular é preciso
Por fim, ao fundo da rua, do lado esquerdo, em plena curva e frente a uma montra de sapataria, há quem ali estacione com frequência (Fig. 4), tirando a visibilidade a quem quer virar para a rua 5 de Outubro e que por isso está sujeito a colidir com um veiculo que daí venha. É que circular é preciso
Do exposto, conclui-se que uma rua é um observatório sociológico de comportamentos sociais e anti-sociais, bem como um palco onde alguns dos actores nem sempre desempenham papéis agradáveis. Daí que a proximidade da polícia e dos serviços municipais seja desejável. Apareçam por aqui e dêem uma “mãozinha”. Os moradores agradecem. É que circular é preciso…


Fig. 2
 Fig. 3
 Fig. 4