quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Efemérides de Novembro (Nova versão)

30 de Novembro 
 
A 30 de Novembro de 1935 morre em Lisboa, com 47 anos de idade, Fernando
Pessoa (1888-1935), poeta, filósofo e escritor português. Enquanto poeta,
escreveu sob múltiplos heterónimos, como Ricardo Reis, Álvaro de Campos
e Alberto Caeiro.  É considerado um dos maiores poetas da língua portuguesa
e da literatura universal. RETRATO DE FERNANDO PESSOA (1954). Almada
Negreiros (1893-1970). Óleo sobre tela (201 x 201 cm). Museu da Cidade, Lisboa. 
29 de Novembro
 
A 29 de Novembro de 1926, o General António Óscar de Fragoso Carmona
(1869-1951) assume a Presidência da República no âmbito da Ditadura
Nacional saída do Golpe de 28 de Maio desse ano. Desde 9 de Julho que
Carmona (1869-1951), como Presidente do Ministério passara a desempenhar
as funções de Presidente da República, após a demissão do General Manuel
de Oliveira Gomes da Costa (1863-1929). Viria a ser nomeado interinamente
para o cargo, por decreto de 16 de Novembro de 1926. Foi o décimo primeiro
Presidente da República Portuguesa (primeiro da Ditadura e primeiro do Estado
Novo). MARECHAL ANTÓNIO ÓSCAR DE FRAGOSO CARMONA (1933) - Pintura a óleo
de Henrique Medina (1901-1989). Museu da Presidência da República, Lisboa.
28 de Novembro
A 28 de Novembro de 1520, ao serviço do rei de Espanha Carlos V (1500-1558),
o navegador português Fernão de Magalhães (1840-1521), atinge o Oceano
Pacífico  no decurso da primeira viagem de circum-navegação. RETRATO DE
FERNÃO DE MAGALHÃES (séc. XVI-XVII) – Autor desconhecido. Mariners' Museum,
Newport News, Virginia, USA.
27 de Novembro

 A 27 de Novembro de 1199 é fundada a cidade da Guarda, através de carta
Foral de D. Sancho I (1154-1212), com o propósito de servir de centro
administrativo, de comércio e de defesa da fronteira da Beira contra os
 Reinos da Meseta do centro da Península Ibérica: primeiro, o Reino de Leão;
depois, o de Castela e finalmente, Espanha. Foi este propósito que deu origem
ao nome de Cidade da Guarda. FORAL DA CIDADE DA GUARDA.
26 de Novembro
A 26 de Novembro de 2006 morre em Lisboa, Mário Cesariny de Vasconcelos
(1923-2006), considerado o principal representante do surrealismo português,
poeta, pintor, antologista, compilador e historiador do surrealismo em Portugal.
CESARINY - Cartoon de André Carrilho (http://www.andrecarrilho.com).

25 de Novembro
 A 25 de Novembro de 1845, nasce na Póvoa de Varzim, o escritor e diplomata
português José Maria Eça de Queiroz (1845-1900), autor entre muitas outras
obras, de  "Os Maias" e "A Ilustre Casa de Ramires".
24 de Novembro
A 24 de Novembro celebra-se o Dia Nacional da Cultura Científica. A efeméride
foi instituída em 1996, por proposta do então Ministro Mariano Gago, em
homenagem a Rómulo de Carvalho, professor, metodólogo, investigador e autor
de manuais escolares, de livros de investigação científica e de poesia, estes
últimos sob o pseudónimo de António Gedeão. Nessa data, Rómulo de Carvalho
completava 90 anos e em notícia do jornal “Público” de 24 de Novembro de 1996,
Mariano Gago propôs que aquele dia do ano se tornasse Dia da Cultura Científica,
data que devia ser “momento privilegiado, todos os anos, de balanço, de reflexão
e de acção sobre o papel do conhecimento no nosso futuro”. TRIUNFO DAS ARTES
(1729- 1730). GIOVANNI BATTISTA TIEPOLO. ÓLEO SOBRE TELA (55,5 X 72 CM).
MUSEU NACIONAL DE ARTE ANTIGA, LISBOA. Em baixo estão representadas três
figuras femininas que personificam as artes visuais: Escultura, Arquitectura e
Pintura.À esquerda das Artes, mais próximas da esfera celeste, estão as Ciências,
das quais se destacam a Geometria e a Astronomia. Em cima podemos observar
as divindades protectoras das Artes e Ciências: Apolo, Minerva e Chronos.

23 de Novembro
A 23 de Novembro celebra-se o Dia da Floresta Autóctone, que visa assinalar
a importância ambiental e económica da conservação das florestas naturais.
Neste dia arranca a “Semana da Reflorestação Nacional”, uma acção que
pretende levar-nos ao encontro da floresta com o objectivo de a vivenciarmos,
protegermos e plantarmos com respeito pela biodiversidade e pelas espécies
autóctones. . O SOBREIRO (1905) – D. Carlos I (1863-1908). Pastel sobre cartão
(177 x 91 cm). Fundação da Casa de Bragança, Vila Viçosa.
22 de Novembro
 
 A 22 de Novembro de 1497, Vasco da Gama na procura de um caminho marítimo
para a Índia, dobra o Cabo da Boa Esperança que marca a transição do Atlântico
para o Índico. APARIÇÃO DO ADAMASTOR. Carlos Reis (1863-1940). Óleo sobre tela.
Museu Militar de Lisboa.
21 de Novembro
 
A 21 de Novembro de 1857 nasce em Lisboa, o pintor naturalista e realista,
Columbano Bordalo Pinheiro (1857-1929). GRUPO DO LEÃO (1885) – Columbano
Bordalo Pinheiro. Óleo sobre tela (200 x 380 cm). Museu do Chiado, Lisboa.
20 de Novembro
A 20 de Novembro de 1807, as tropas napoleónicas de Junot (1771-1813)
alcançam a fronteira portuguesa, iniciando a 1ª Invasão Francesa de Portugal
no âmbito da Guerra Peninsular (1807-1814).  A invasão insere-se no plano de
Napoleão (1769-1821) para impor o Bloqueio Continental a toda a Europa,
visando derrotar o Reino Unido. Enquadra-se ainda na dinâmica expansionista
da França Napoleónica. A 21 de Agosto de 1808 foi travada a Batalha do Vimeiro,
na qual se defrontaram as forças luso-britânicas comandadas pelo tenente-general
Sir Arthur Wellesley (1769-1852) e as forças francesas chefiadas pelo general
Jean-Andoche Junot (1771-1813). A batalha saldou-se por uma vitória para as
forças luso-britânicas e determinou o fim da 1ª Invasão Francesa de Portugal.

OS FRANCESES NA PRIMEIRA INVASÃO – Ilustração de Alfredo Roque Gameiro
(1864-1935), para a obra “Quadros da História de Portugal” de Chagas Franco,
ilustrada por Alberto de Souza e dada à estampa em 1917. 
19 de Novembro

A 19 de Novembro celebra-se desde 1999, o Dia Internacional do Homem.
Segundo Ingeborg Breines, directora da Secretaria de Mulheres e Cultura de
Paz da UNESCO, “…a criação da data é uma excelente ideia para equilibrar
os  géneros". Os objectivos principais do Dia Internacional do Homem são:
- Promover a saúde do homem e seu bem-estar: social, emocional, físico e
espiritual; - Melhorar a relação entre géneros e promover a igualdade de
género; - Destacar as contribuições masculinas positivas para a sociedade,
comunidade, família e meio ambiente; - Promover modelos masculinos
positivos, não apenas de estrelas de cinema ou de desporto, mas de
homens do dia-a-dia, cujas vidas são decentes e honestas; - Criar um
mundo melhor, onde as pessoas possam se sentir seguras e crescer para
alcançar seu pleno potencial; - Destacar a discriminação profissional
contra os homens nas áreas de serviços sociais, nas atitudes e expectativas
sociais e no direito; O Dia Internacional do Homem é celebrado a nível
mundial com seminários, actividades escolares, programas de rádio e
televisão, debates, desfiles e mostras de arte. CABEÇA DE CEIFEIRO
ALENTEJANO (1941). Dórdio Gomes (1890-1976). Óleo sobre contraplacado

(33 x 25 cm). 
18 de Novembro 
 
A 18 de Novembro de 1783, a rainha D. Maria I (1734-1816) deliberou a
concessão de uma Lotaria Nacional à Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, cujos
lucros seriam repartidos equitativamente pelo Hospital Real de Todos os Santos,
pelo Hospital dos Expostos e pela Academia Real das Ciências. Actualmente,
os lucros são repartidos entre a Direcção-Geral do Tesouro (36,5%) e a Santa
Casa  da Misericórdia de (63,5%). Todas as segundas-feiras são sorteados três
prémios principais e mais dezoito gradualmente de valor inferior. BILHETE DE
LOTARIA NACIONAL DO ANO DE 1843. 
17 de Novembro
A 17 de Novembro de 1717, no reinado de D. João V (1689-1750), “O Magnânimo”,
a cerca de 25 quilómetros de Lisboa, tem início a construção do Palácio-Convento
de Mafra, a qual só terminaria em 1730. É indiscutivelmente o mais importante
monumento do barroco português. PALÁCIO-CONVENTO DE MAFRA
(séc. XVIII). Autor desconhecido. Óleo sobre tela (50x60 cm).
Colecção particular.
16 de Novembro

A 16 de Novembro, assinala-se o Dia Nacional do Mar, data comemorativa da
Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar (CNUDM), que entrou em
vigor a 16 de Novembro de 1994, tendo sido ratificada por Portugal a 14 de
Outubro de 1997. Um ano mais tarde, em 1998, o dia 16 de Novembro foi
institucionalizado pela Resolução de Conselho de Ministros n.º 83/1998,
de 10 de Julho, como o Dia Nacional do Mar. A MOLICEIRA (1881-1888) –
- António Carvalho de Silva Porto (1850-1893). Óleo sobre madeira
(41 x 55,5 cm). Casa-Museu Dr. Anastácio Gonçalves, Lisboa.
15 de Novembro
A 15 de Novembro de 1889 nasce no Palácio de Belém, em Lisboa, aquele que
viria a ser o rei D. Manuel II (1889-1932), filho de D. Carlos I (1863-1908) e
de Dona Amélia de Orleães (1865-1951). D. Manuel II subiu ao trono a 6 de
Maio de 1908, com 18 anos apenas, em virtude de seu pai D. Carlos I e o
príncipe herdeiro D. Luís Filipe terem sucumbido no regicídio a 1 de
Fevereiro de 1908. Tímido, inexperiente, sem gosto nem vocação para a
política, D. Manuel II reinaria durante vinte e nove escassos meses, nos
quais passaram pelo poder seis ministérios, cuja acção não foi além de
pequenas manobras políticas. Seria destronado pelo triunfo da revolução
republicana a 5 de Outubro de 1910. Em 4 de Setembro de 1913 casa com
uma prima, a princesa D. Augusta Vitória de Hohenzollern Sigmaringen,
pertencente à família real alemã e da qual não teve descendência. Viveu
primeiro em Richmond e depois no Palácio de Fulwell Park, em Twickenham,
onde morreu a 2 de Julho de 1932, sufocado por um edema da glote. O
casamento de D. Manuel II com uma princesa alemã, não o impediu de
aconselhar os seus partidários a combater pela causa dos aliados, durante a
I Grande Guerra e de visitar as tropas portuguesas na frente da Flandres.
Perante as incursões monárquicas sempre proclamou que não queria
aventuras, afirmando que a Monarquia se devia restaurar pelo combate no
campo legal. Durante o exílio, consagrou-se à investigação bibliográfica,
tendo publicado “Livros Antigos Portugueses, 1489-1600, da Biblioteca de
Sua Majestade Fidelíssima, descritos por S.M. El-Rei D. Manuel em Três
Volumes”, editados respectivamente em 1929, 1932 e 1935. A monumental
obra de D. Manuel II descreve 9 incunábulos, 460 livros quinhentistas
impressos em Portugal e 6 no estrangeiro. Na obra indicam-se ainda, o mais
concisamente possível, 3 manuscritos e 112 volumes da camoneana de D.
Manuel II, impressos de 1572 a 1928. Jaz no Panteão dos Braganças, no
Mosteiro de São Vicente de Fora, em Lisboa. RETRATO DE D. MANUEL II (1908).
José Malhoa (1855-1933). Óleo sobre tela. Palácio Nacional de Mafra.
14 de Novembro
 A 14 de Novembro de 1839 nasce no Porto, na antiga Rua do Reguinho, aquele
que viria a ser o médico e escritor Júlio Diniz (1839-1871), pseudónimo literário
de Joaquim Guilherme Gomes Coelho, criador do romance campesino e autor de
obras como: As Pupilas do Senhor Reitor (1869), A Morgadinha dos Canaviais
(1868), Uma Família Inglesa (1868), Serões da Província (1870), Os Fidalgos da
Casa Mourisca (1871), Poesias (1873), Inéditos e Dispersos (1910), Teatro Inédito
(1946-1947). Além daquele pseudónimo usou também o de Diana de Aveleda,
com o qual se iniciou na vida literária e subscreveu crónicas no Diário do Porto
e pequenas narrativas ingénuas como “Os Novelos da Tia Filomena” (1862) e o
“Espólio do Senhor Cipriano” (1863). Viria a morrer a 12 de Setembro de 1871,
com 31 anos, vítima de tuberculose, numa casa da Rua Costa Cabral, no Porto.
ILUSTRAÇÃO A AGUARELA PARA AS “PUPILAS DO SENHOR REITOR” EXECUTADA
POR MESTRE ALFREDO ROQUE GAMEIRO (1864-1935). Esta ilustração, tal como
as demais pertence ao acervo da Colecção do Museu de Arte Moderna da
Fundação Calouste Gulbenkian e encontra-se em depósito no Museu de Aguarela
Roque Gameiro, em Minde.
13 de Novembro
 A 13 de Novembro de 1460, morre em Sagres com a idade de 66 anos,
o Infante D. Henrique (1394-1460), filho de D. João I e de D. Filipa
de Lencastre, quinto na ordem de genitura e terceiro entre os que
tiveram biografia. Foi sob a égide do Infante que teve lugar a
primeira fase da expansão marítima portuguesa de que ele foi o
mentor, o impulsionador e o financiador. INFANTE D. HENRIQUE -
- Painel do Infante – Nuno Gonçalves (c. 1420- c. 1490).
Óleo sobre madeira (206,4 x 128,0 cm). Museu Nacional de
Arte Antiga, Lisboa.
12 de Novembro
A 12 de Novembro de 1877, Alexandre Alberto da Rocha de Serpa Pinto
(1846-1900), militar, explorador e administrador colonial português,

começa a travessia do continente africano. A expedição visava fazer o
reconhecimento e efectuar o mapeamento do interior do continente
africano, para preparar a entrada de Portugal na discussão pela
ocupação dos territórios africanos, até então apenas utilizados como
entrepostos comerciais ou destino de expatriados. A ocupação efectiva
sobre a ocupação histórica, decidida pelas actas da Conferência de
Berlim (1884-1885), obrigou o Estado Português a actuar no sentido
de reclamar para si uma vasta região do continente africano que
uniria as províncias de Angola e Moçambique, através do chamado
"mapa cor-de-rosa", intenção que falhou após o ultimato britânico
de 1890. SERPA PINTO COM DOIS INDÍGENAS.
11 de Novembro
 A 11 de Novembro de 1861 morre aos 24 anos, de febre tifóide, D. Pedro V
(1837-1861), O Esperançoso, que subira ao trono com apenas 18 anos.
No seu reinado é inaugurado o primeiro telégrafo eléctrico no país (1855)
e o caminho de ferro entre Lisboa e Carregado (1856), iniciam-se as primeiras
viagens regulares de navio, entre Portugal e Angola, é criado o Curso Superior
de Letras (1859), é introduzido o sistema métrico em Portugal (1859) e em
1860 ordena a criação do Hospital de Dona Estefânia, em Lisboa. Jaz no
Panteão dos Braganças, no mosteiro de São Vicente de Fora em Lisboa
RETRATO DE D. PEDRO V - Miguel Ângelo Lupi (1826-1883). Óleo sobre tela.
Palácio Nacional da Ajuda, Lisboa.
10 de Novembro
  A 10 de Novembro comemora-se o Dia Mundial da Ciência pela Paz e o
Desenvolvimento. A efeméride, criada pela ONU em 2001, visa incentivar
a discussão sobre o papel da Ciência na construção de um mundo melhor. 
9 de Novembro 

A 9 de Novembro de 1967, morre em Lisboa, (Tomás de Aquino Carmelo Alcaide
(1901-1967), cantor lírico português de projecção internacional, que teve como
berço natal a cidade de Estremoz. TOMAZ ALCAIDE RETRATADO POR MAX, EM 1936,
EM BRUXELAS. 
8 de Novembro
No dia 8 de Novembro comemora-se o Dia Mundial do Urbanismo. Esta data
comemorativa foi decretada pela Organização Internacional do Dia Mundial
do  Urbanismo, fundada em 1949, em Buenos Aires, na Argentina. A efeméride
visa promover a consciência, a sustentação, a promoção e a integração entre a
comunidade e o Urbanismo. Este é um campo do conhecimento que tem como
objectivo criar condições satisfatórias e ordenadas de vida nos centros urbanos,
de acordo com as necessidades humanas: meios de locomoção, moradias, lazer,
criação de áreas verdes, entre outras. 
7 de Novembro
A 7 de Novembro de 1995, José Saramago (1922 - 2010) recebe o Prémio Camões.
A distinção instituída pelos governos do Brasil e de Portugal em 1988, é atribuída
aos autores que tenham contribuído para o enriquecimento do património literário
e cultural da língua portuguesa. O prémio é considerado o mais importante prémio
literário destinado a premiar um autor de língua portuguesa pelo conjunto da sua
obra. O galardão é atribuído anualmente, alternadamente no território de cada um
dos dois Estados, cabendo a decisão a um júri especialmente constituído para o efeito. 
6 de Novembro
A 6 de Novembro de 1656, morre D. João IV (1604-1656), 21º Rei de Portugal
e fundador da Dinastia de Bragança. Trineto de D. Manuel I (1469-1521) e
filho de D. Teodósio II de Bragança (1568-1630) e de D. Ana de Velasco
(1585-1607), casou em 12 de Janeiro de 1633 com D. Luísa de Gusmão
(1613-1666), filha do Duque de Medina Sidónia. Foi o 8º duque de Bragança,
tendo sido aclamado Rei de Portugal em 1 de Dezembro de 1640. O seu
reinado durou até á sua morte, tendo tido como nota reinante o
desenvolvimento da guerra com a Espanha, conhecida por Guerra da
Restauração. COROAÇÃO DE D. JOÃO IV (1908). Quadro de Veloso Salgado 
(1864-1945). Óleo sobre tela (325 x 285 cm). Museu Militar (Sala Restauração),
Lisboa. Representa a aclamação de D. João IV no Terreiro do Paço, tendo o
Tejo como fundo e os chefes da conspiração em frente do novo rei. A
Restauração  da Independência Nacional deu-se em 1 de Dezembro de 1640. 
5 de Novembro
A 5 de Novembro de 1991, é atribuído ao escritor José Cardoso Pires (1925-1998)
pelo conjunto da sua obra, o Prémio União Latina de Literaturas Românicas. A
sua obra diversificada distribui-se por géneros como: novela, ensaio, teatro,
contos, romance, sátira inclui títulos como: Os Caminheiros e Outros Contos,
Histórias de Amor, O Anjo Ancorado, Cartilha do Marialva, O Render dos Heróis,
Jogos de Azar, O Hóspede de Job, O Delfim, Dinossauro Excelentíssimo, E agora,
José ?, O Burro em Pé,  Corpo-Delito. Na Sala de Espelhos, Balada da Praia dos
Cães, Alexandra Alpha, A República dos Corvos, Cardoso Pires por Cardoso Pires,
A Cavalo no Diabo, De Profundis, Valsa Lenta, Lisboa, Livro de Bordo e Lavagante.
4 de Novembro
 A 4 de Novembro de 1877, em cerimónia presidida pelo rei D. Luís I (1838-1899)
e pela rainha D. Maria Pia (1847-1911), é inaugurada a Ponte D. Maria Pia, a
primeira ponte ferroviária a unir as duas margens do rio Douro, entre Vila Nova
de Gaia e o Porto. A estrutura metálica apresenta um tabuleiro com 352 metros
de extensão e sob ele, um arco de forma biarticulada, com 160 metros de corda
e 42,60 metros de flecha. A altura medida a partir do nível das águas, é de 61
metros. A ponte foi projectada pelo Eng.º Théophile Seyrig (1843-1923) e edificada
entre 5 de Janeiro de 1876 e 4 de Novembro de 1877 pela empresa Eiffel
Constructions Métalliques, da qual era sócio com Gustave Eifell (1832-1923).
A empresa teve que recorrer a métodos revolucionários para a época, uma vez
que era o maior vão construído até essa data, dada a largura do rio e as dimensões
das escarpas envolventes. Na obra trabalharam permanentemente 150 operários que
utilizaram 1.600 toneladas de ferro. A ponte, de uma só linha, integrou a linha do
Norte até 1991, ano em que foi desactivada, face à entrada em serviço da Ponte de
S. João. À Ponte D. Maria Pia foram outorgadas as seguintes distinções: - 1982:
Classificada como Monumento Nacional pelo IGESPAR; - 1990: Classificada como
Internacional Historic Civil Engineering Landmark pela American Society of
Engineering (ASCE); - 2013: Considerada pelo jornal The Guardian como uma das
10 mais belas pontes do mundo. PORTO – PONTE D. LUÍS SOBRE O RIO DOURO. 
3 de Novembro 
A 3 de Novembro de 1965, em plena Guerra Colonial, o Conselho de Segurança
da ONU pede a todos os estados membros para não prestarem a Portugal
qualquer assistência "que permita continuar a repressão" dos povos africanos,
em particular a venda de armas e equipamento militar. EMBARQUE DE TROPAS
PARA A GUERRA COLONIAL.
2 de Novembro
A 2 de Novembro assinala-se o Dia de Finados ou Dia dos Fiéis Defuntos. Este
dia é celebrado entre nós com tristeza, pois recordam-se as pessoas de família
e os amigos que já morreram. De acordo com a tradição católica, as pessoas
acorrem aos cemitérios para prestar homenagem aos mortos. Para tal, deixam
ramos de flores nas campas e acendem velas para iluminar os falecidos no
caminho para o Paraíso, ao encontro da comunhão com Deus e mandam rezar
missas em sua memória. O culto aos mortos é ancestral e esteve presente em
quase todas as religiões, tendo inicialmente estado ligado aos cultos agrários
e de fertilidade. Os mais antigos acreditavam que, tal como as sementes, os
mortos eram enterrados com vista à ressurreição. Em Portugal, ainda são
respeitadas  crenças muito antigas, como não caçar nem pescar no Dia de
Finados. DIA DOS FINADOS. Aurélia de Sousa. (1866-1922). Óleo sobre tela.
1 de Novembro
A 1 de Novembro, a Igreja Católica celebra o Dia de Todos-os-Santos, como
uma festa em honra de todos os santos e mártires, conhecidos e desconhecidos.
OS PRECURSORES DE CRISTO COM SANTOS E MÁRTIRES (c.1423-24).  Fra Angélico
(c. 1395 - 1455). Têmpera sobre madeira (31,9 x 63,5 cm). National  Gallery, London.