quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Memória de Adriano Correia de Oliveira

ADRIANO CORREIA DE OLIVEIRA - Mural em azulejos de António Carmo (1949 - ),
à entrada do Parque Biológico de Gaia, em homenagem ao músico e cantor,
erigido aquando do 25º aniversário do seu desaparecimento.


A 16 de Outubro de 1982 morre Adriano Correia de Oliveira (1942-1982), músico e cantor, um dos mais importantes e significativos intérpretes do fado de Coimbra e da chamada “canção de intervenção”. A sua discografia está assim distribuída: - ÁLBUNS: Adriano Correia de Oliveira (LP, 1967); O Canto e as Armas (LP, 1969); Cantaremos (LP, 1970); Gente de aqui e de agora (LP, 1971); Que nunca mais (LP, 1975); Cantigas Portuguesas (LP, 1980). - COMPILAÇÕES: Fados de Coimbra (1973); Memória de Adriano (1982); Fados e baladas de Coimbra (1994); Obra Completa (1994); Vinte Anos de Canções (1960-1980) (2001); Obra completa (2007). - SINGLES E EP’S: Noite de Coimbra (EP, 1960); Balada do Estudante (EP, 1961); Fados de Coimbra (EP, 1961); Fados de Coimbra (EP, 1962); Trova do vento que Passa (EP, 1963); Adriano Correia de Oliveira (EP, 1964); Elegia (EP, 1967); Adriano Correia de Oliveira (EP, 1968); Rosa de Sangue (EP, 1968); Cantar de Emigração (EP, 1971); Trova do Vento Que Passa nº2 (EP, 1971); Lágrima de Preta (EP, 1972); Batalha de Alcácer-Quibir (EP, 1972); O Senhor Morgado (EP, 1973); A Vila de Alvito (EP, 1974); Para Rosalía (EP, 1976); Notícias de Abril (Single, 1978).
Adriano Correia de Oliveira partiu há 34 anos. Todavia, a sua música e as suas canções, permanecem vivas nos nossos corações.

 Hernâni Matos
(16-10- 2013)