domingo, 4 de agosto de 2013

Provérbios de Agosto

AGOSTO - Iluminura (9,8x13,3 cm) do “Livro de Horas de D. Fernando”
[Século XVI (1530-1534)], manuscrito com iluminuras da oficina Simon
Bening ( c.1483 – 1561), conservado no Museu Nacional de Arte Antiga.
 Pintura a têmpera e ouro sobre pergaminho.

- A quem não tem pão semeado, de Agosto se lhe faz Maio.
- A terra lavrada em Agosto à estercada dá de rosto.
- Abril frio, pão e vinho, Maio come o trigo e Agosto bebe o vinho.
- Abril, frio e molhado, enche o celeiro e farta o gado. Agosto, debulhar, Setembro, vindimar.
- Agosto amadura, Setembro derruba.
- Agosto amadurece, Setembro vindimece.
- Agosto arder, Setembro beber.
- Agosto chuvoso é ano formoso.
- Agosto debulhar, Setembro vindimar.
- Agosto é o mês da fome.
- Agosto é o primeiro mês de Inverno.
- Agosto e vindima não é cada dia.
- Agosto e vindima não vêm cada dia, mas sim cada ano, uns com ganância, outros com dano.
- Agosto madura e Setembro vindima.
- Agosto madura, Setembro derruba e Outubro seca tudo.
- Agosto madura, Setembro vindima.
- Agosto não caminhar, Dezembro não marear.
- Agosto nos farta, Agosto nos mata.
- Agosto que lhe dá pelo rosto. culpa se Setembro leva a fruta.
- Agosto tem a culpa, e Setembro leva a fruta.
- Agosto tem cuidadoso e aguilhoa o preguiçoso.
- Agosto, água no rosto.
- Agosto, aguilhoa o preguiçoso.
- Agosto, candeeiro posto.
- Agosto, dá o sol no rosto.
- Agosto, engravelar.
- Agosto, frio no rosto, malha com desgosto.
- Agosto, frio no rosto, malha com gosto.
- Agosto, frio no rosto.
- Agosto, mês de desgosto.
- Agosto, não caminhar; Dezembro, não marear.
- Agosto, toda a fruta tem gosto.
- Água de Agosto apressa o mosto.
- Água de Agosto consola o corpo.
- Água de Agosto dá mel e mosto.
- Água de Agosto tira o sol do rosto.
- Água de Agosto, açafrão, mel e mosto.
- Água de Agosto, tira o sol do rosto.
- Água pelo São João, traz vinho e não dá pão; em Agosto, nem pão nem mosto.
- Ande o ano por onde andar, o mês de Agosto há-de aquentar.
- Até quinze de Agosto malha a teu gosto; depois malha o suor do teu rosto.
- Até quinze de Agosto malha a teu gosto; depois malha o suor do teu rosto.
- Bom é o ano quando em Agosto, sobre a castanha se chupa mosto.
- Caroço de Agosto dá gosto.
- Cava de Agosto enche o tonel de mosto.
- Cava e esterca de Agosto, ao lavrador alegra o rosto.
- Cava em Agosto, enche o tonel de mosto.
- Chovendo em Agosto não metas teu dinheiro em mosto.
- Chuva de Agosto apressa o mosto.
- Chuva de Agosto, apanhá-la com gosto.
- Chuva de Agosto, apanhá-la dá gosto.
- Chuva em Agosto enche o tonel de mosto.
- Chuva em Agosto: açafrão, mel e mosto.
- Chuva fina pelo Santo Agostinho é como se chovesse vinho.
- Chuva por Santo Agostinho é como se chovesse vinho.
- Corra o ano como correr, o mês de Agosto há-de aquecer.
- Corra o ano como for, haja em Agosto e Setembro calor.
- Couves em Agosto, tumba à porta.
- Dia de Santo António vêm dormir as castanhas ao castanheiro.
- Dia de São Bartolomeu, anda o diabo à solta.
- Dia de São Lourenço, vai à vinha e enche o lenço.
- Em Agosto aguilhoa o preguiçoso e sê cuidadoso.
- Em Agosto aguilhoa o preguiçoso.
- Em Agosto apanha macela que livra da botica o uso dela.
- Em Agosto ardem os montes e secam as fontes.
- Em Agosto dá o sol no rosto
- Em Agosto da o sol pelo rosto. 
- Em Agosto deve o milho ferver no caroço e a castanha no ouriço.
- Em Agosto deve o milho ferver no carolo.
- Em Agosto deve o milho ferver o carolo.
- Em Agosto espingarda ao rosto.
- Em Agosto há bulha o preguiçoso.
- Em Agosto malha a teu gosto.
- Em Agosto nao metas o teu dinheito em mosto.
- Em Agosto palhas ao palheiro, meninas ao candeeiro.
- Em Agosto passa o frio pelo rosto.
- Em Agosto sê cuidadoso e não largues o preguiçoso.
- Em Agosto secam as fontes e ardem os montes.
- Em Agosto secam os montes e em Setembro as fontes.
- Em Agosto secam os montes, em Setembro as fontes e o Outubro seca tudo.
- Em Agosto secam os montes, em Setembro as fontes.
- Em Agosto toda a fruta tem gosto.
- Em Agosto toda a fruta tem o seu gosto.
- Em Agosto toda a fruta tem seu gosto
- Em Agosto todo o fruto tem seu gosto.
- Em Agosto vale mais vinagre que mosto.
- Em Agosto, antes vinagre do que mosto.
- Em Agosto, ardem os montes; em Setembro, secam as fontes.
- Em Agosto, candeeiro posto.
- Em Agosto, dá o sol pelo o rosto.
- Em Agosto, espingarda ao rosto.
- Em Agosto, frio no rosto.
- Em Agosto, nem vinho nem mosto.
- Em Agosto, palhas ao palheiro, meninas ao candeeiro.
- Em Agosto, sardinha e mosto.
- Em Agosto, sardinhas e mosto.
- Em Agosto, suor no rosto.
- Em Agosto, terra lavrada dá de cara à estercada.
- Em Agosto, toda a fruta tem gosto.
- Em Agosto, toda a fruta tem seu gosto.
- Em Agosto, uvas e mosto.
- Em Agosto, vale mais vinagre que mosto.
- Em Dezembro chuva, em Agosto uva.
- Em dia de São Lourenço vai à vinha e encherás o lenço.
- Em Fevereiro, chuva; em Agosto, uva.
- Em Junho, Julho e Agosto, senhora não sou vosso.
- Esterco e cava de Agosto, ao lavrador alegra o rosto.
- Fevereiro couveiro faz a perdiz ao poleiro; Março, três ou quatro; Abril, cheio está o covil; Maio, pio-pio pelo mato; Junho, como um punho; em Agosto as tomarás a cosso.
- Fevereiro ricoqueiro, faz a perdiz ao poleiro; Março, três ou quatro; Abril, cheio está o covil; Maio, pio, pio, pelo mato; Junho, como um punho; em Agosto, as tomarás em cosso.
- Janeiro gear, Fevereiro chover. Março encanar, Abril espigar, Maio engrandecer. Junho ceifar, Julho debulhar, Agosto engavelar. Setembro vindimar, Outubro revolver, Novembro semear, Dezembro nasceu Deus para nos salvar.
- Janeiro gear. Fevereiro chover, Março encanar, Abril espigar, Maio engrandecer. Junho ceifar, Julho debulhar, Agosto engavetar, Setembro vindimar. Outubro revolver. Novembro semear. Dezembro nascer.
- Janeiro gear. Fevereiro chover, Março encanar, Agosto recolher. Setembro vindimar.
- Julho é o mês das colheitas, Agosto o mês das festas.
- Julho, debulhar; Agosto, engravelar.
- Junho, Julho e Agosto, senhora, não sou vosso.
- Lá vem Agosto com os seus santos ao pescoço.
- Lá vem o Agosto com os seus santos ao pescoço.
- Lua nova de Agosto carregou, lua nova de Outubro trovejou.
- Luar de Agosto, dá-lhe no rosto.
- Luar de Janeiro alumia todo o ribeiro, mas lá vem o de Agosto que lhe dá no rosto.
- Luar de Janeiro não tem parceiro, senão o de Agosto, que lhe dá de rosto.
- Luar de Janeiro não tem parceiro; mas lá vem o de Agosto que lhe dá no rosto.
- Maio come o pão. Agosto bebe o vinho.
- Maio come o trigo, Agosto bebe o vinho.
- Maio faz o pão e Agosto bebe o vinho.
- Maio faz o pão e Agosto o milhão.
- Mês de Agosto será gaiteiro se for bonito o primeiro de Janeiro.
- Nao é bom mosto, o colhido em Agosto.
- Não é bom o mosto colhido em Agosto.
- Não há casamento de Agosto que não tenha desgosto.
- Nem em Agosto caminhar, nem em Dezembro malhar.
- Nem em Agosto caminhar, nem em Dezembro marear, nem em Dezembro navegar.
- Nem em Agosto caminhar, nem em Dezembro marear.
- Nem por Agosto caminhar, nem por Dezembro marear.
- Nem por Agosto comprar, nem por Dezembro marear. 
- Névoas de Agosto, nem bom nabo, nem bom magusto.
- No dia de S. Lourenco vai a vinha e enche o lenco.
- No dia de São Lourenço a velha enche o lenço.
- No dia de São Lourenço vai à vinha e enche o lenço.
- No São Lourenço vai à vinha e enche o lenço.
- No São Tiago pinta o bago.
- O Mês de Agosto arremeda o ano todo.
- O mês de Agosto arremeda os outros.
- O mês de Agosto será gaiteiro, se for bonito o 1º de Janeiro.
- O que tapa o frio tapa o calor.
- O sol de Agosto cria azeite e mosto.
- Os nabos querem o luar de Agosto.
- Os nabos querem ver o luar de Agosto.
- Os ouriços em Agosto fervam e em Setembro bebam.
- Outubro, revolver; Novembro, semear; Dezembro, nasceu um Deus para nos salvar; Janeiro, gear; Fevereiro, chover; Março, encanar; Abril, espigar; Maio, engrandecer; Junho, ceifar; Julho, debulhar; Agosto, engravelar; Setembro, vindimar.
- Pela Assunção cada pinga vale seu tostão.
- Pelo São Bartolomeu vai à vinha e enche o lenço.
- Pelo São Lourenço, os nabais nem nados nem no lenço.
- Pelo São Lourenço, vai à vinha e enche o lenço.
- Por Santa Maria de Agosto, repasta a vaca um pouco.
- Por São Lourenço vai à vinha e enche o lenço.
- Por São Lourenço vai à vinha e encherás o lenço.
- Primeiro de Agosto, primeiro de Inverno.
- Primeiro de Janeiro, primeiro de Verão; primeiro de Agosto, primeiro de Inverno.
- Quando chove em Agosto, chove mel e mosto.
- Quando chove em Agosto, não chove água senão mosto.
- Quando chove em Agosto, não metas teu dinheiro em mosto.
- Quando chover em Agosto, não compres mosto.
- Quando chover em Agosto, não metas o teu dinheiro em mosto.
- Quando chover por Agosto, não metas teu dinheiro em mosto.
- Quando há vento, é que se limpa o cereal.
- Quem Agosto ara, riqueza prepara
- Quem cava a vinha em Agosto, enche a cuba de mosto.
- Quem debulha em Agosto, debulha com mau gosto.
- Quem dormir ao sol de Agosto passa por desgosto.
- Quem em Agosto ara, riquezas prepara.
- Quem em Março come sardinha, em Agosto lhe pica a espinha.
- Quem malha em Agosto, malha com desgosto.
- Quem malha em Agosto, não malha com gosto.
- Quem não debulha em Agosto, debulha com desgosto.
- Quem não debulha em Agosto, debulha com mau desgosto.
- Quem não debulha em Agosto, debulha com mau rosto.
- Quem não debulha em Agosto, debulha contra seu gosto.
- Quem quer ver seu marido morto, dá-lhe lapas em Maio e couves em Agosto.
- Quem quiser o homem morto, dê-lhe lapas em Maio e couves em Agosto.
- Quem se casa em Agosto não junta dinheiro.
- Se chover em Agosto, não gastes dinheiro em mosto.
- Se não debulhas em Agosto, terás sempre desgosto.
- Se queres o teu homem morto, dá-lhe couves em Agosto.
- Se queres o teu homem morto, dá-lhe sardinhas em Maio e couves em Agosto.
- Se queres teu marido morto, dá-lhe lapas em Maio e couves em Agosto, mas mal por mal, antes lapas em Maio do que couves em Agosto.
- Se queres teu marido morto, dá-lhe lapas em Maio e couves em Agosto; mas morto por morto, antes lapas em Maio do que couves em Agosto.
- Se queres ver o teu homem morto, dá-lhe couves em Agosto.
- Se queres ver o teu marido morto, dá-lhe lapas em Maio e couves em Agosto.
- Seja o ano que for, Agosto quer calor.
- Sol de Agosto, calor de gostos.
- Tardes de Agosto, nem para água ao poço.
- Tardes de Agosto, passam de encosto.
- Temporã é a castanha que em Agosto arreganha.
- Terra lavrada em Agosto, à estercada dá o rosto.
- Trovoadas em Agosto, abundância de uva e mosto.
- Trovoadas em Agosto, melhora o mosto.
- Trovões em Agosto, Inverno comprido
- Uma rega no mês de Agosto, leva o milho ao caniço.