domingo, 25 de dezembro de 2011

Coroas de plantas usadas no Natal

AZEVINHO – Imagem recolhida em: http://plantas-e-pessoas.blogspot.com


Durante a época natalícia, as portas de muitos lares ostentam coroas de Natal, feitas com ramagens entrelaçadas de plantas de cores diferentes:
- O azevinho, um arbusto de folhas afiadas e cortantes, com frutos de cor vermelho-vivo, o qual sobrevive ao mais rigoroso dos invernos europeus;
- O visco branco, arbusto de folhas arredondadas e de textura macia, com frutos brancos;
- A hera, planta trepadeira delicada, flexível, com folhas macias e frutos negros.
Qual a origem de tal tradição?
O azevinho era uma árvore sagrada para os druidas. No calendário celta, o azevinho corresponde ao período compreendido entre 8 de Julho e 4 de Agosto. Devido à dureza da sua madeira, os antigos celtas usavam esta árvore para confeccionar as pontas de seta. Devido a essa característica, o azevinho é considerado como símbolo de firmeza, força e resistência. Na mitologia celta, o azevinho representava o aspecto masculino das divindades e acreditava-se ter o poder de repelir o mal. O visco branco representava o aspecto feminino das divindades (imortalidade e fertilidade) e acreditava-se ser capaz de curar qualquer doença.
Na mitologia escandinava, o azevinho representava Frey (deus belo e forte que comandava o tempo e a prosperidade). O visco branco representava Freya (deusa do amor e da sensualidade). Daí advém a crença que beijar uma pessoa sob uma coroa de Natal, permitirá encontrar o amor da sua vida ou manter de forma saudável uma ligação existente, agraciando o casal com o dom da fertilidade.
A cor invariavelmente verde da hera e o seu carácter aconchegante, tornaram-na um símbolo de imortalidade, amizade e fidelidade, pelo que na antiga Grécia era entregue aos noivos na cerimónia de casamento.
O azevinho, o visco branco e a hera, pelo simbolismo que encerram, são arbustos considerados protectores. Daí serem utilizados para confeccionar coroas natalícias que se colocam nas portas, para trazer boa sorte e protecção
“Boca de hera, coração de azevinho", proclama um provérbio irlandês, repleto de sabedoria celta, provavelmente como registo da “possibilidade de se poder ser simultaneamente suave e resistente”.
Após a cristianização dos antigos cultos pagãos, o azevinho tornou-se um símbolo de Natal, acreditando-se que o azevinho, durante a fuga da Sagrada Família para o Egipto, estendeu os seus ramos para a esconder, impedindo que os soldados de Herodes matassem o Menino Jesus. Então Maria, como sinal de agradecimento, abençoou o azevinho que, desde então, permaneceu sempre verde. O verde permanente das suas folhas representa a vida eterna, as bagas vermelhas simbolizam a crucificação de Jesus e os seus espinhos afugentam os espíritos malignos.



 VISCO BRANCO - Imagem recolhida em: http://www.varbak.com/

HERA – Imagem recolhida em: http://obotanicoaprendiznaterradosespantos.blogspot.com