domingo, 27 de novembro de 2011

Provérbios de S. Miguel

São Miguel pesando as almas (1740-1750).
Painel de 12x17 azulejos da oficina de Valentim de Almeida (1692-1779).
Igreja de São Miguel de Machede.
Arquidiocese de Évora.
QUEM É S. MIGUEL
S. Miguel é um dos três anjos citados pelo seu próprio nome na Bíblia.
“Anjo” é uma palavra de origem grega que significa “mensageiro”.
De acordo com a tradição bíblica e o cristianismo, para além de ter criado o mundo visível, Deus criou também o mundo invisível dos puros espíritos, seres na sua essência pessoais e imortais. Estes são em número elevado e Deus assentiu em conceder-lhes a ascensão ao estado sobrenatural, agregando-os à sua glória.
De acordo com a “angeologia” do teólogo Pseudo-Dionísio (transição do séc. IV para o V), estes seres divinos agrupam-se em nove coros distribuídos por três hierarquias distintas: serafins, querubins e tronos; dominações, virtudes e potestades; principados, arcanjos e anjos. A designação de “anjos”, apesar de genericamente ser conferida a todos, em termos estritamente etimológicos é reservada àqueles a quem Deus confiou mensagens ou intervenções no mundo terreno.
A tradução literal do hebraico para o nome “Miguel” é “Aquele/Quem como Deus”, já que:
- Mi = Aquele/Quem (?)
- Ka = Como
- El = Deus
Além das funções próprias de todos os anjos, S. Miguel é identificado nas sagradas escrituras, como sendo o príncipe dos anjos, o anjo dos supremos combates, o chefe dois exércitos celestiais, o anjo do arrependimento e da justiça, assim como o melhor guia na hora da viagem para a eternidade. É comemorado pela Igreja Católica sob o nome de São Miguel Arcanjo em 29 de Setembro.

REFERÊNCIAS BÍBLICAS
As referências bíblicas a S. Miguel são escassas, aparecendo todavia nos versículos seguintes:
- “Durante vinte e um dias o príncipe dos reis da Pérsia resistiu-me, porém Miguel, um dos príncipes supremos, veio em minha ajuda. Eu deixei-o lá a enfrentar os reis da Pérsia,” (Daniel 10,13)
- “Vou contar-te o que está escrito no livro da verdade. Ninguém me ajuda na luta contra eles, a não ser Miguel, o vosso príncipe,” (Daniel 10,21)
- “Naquele tempo surgirá Miguel, o grande príncipe que protege o povo ao qual pertences: será uma hora de grandes aflições, tais como jamais houve, desde que as nações começaram a existir até ao tempo actual. Então o teu povo será salvo, todos os que estiverem inscritos no livro.” (Daniel 12,1)
- “Na luta com o diabo para disputar o corpo de Moisés, o arcanjo Miguel não teve a ousadia de o acusar com palavras ofensivas; apenas disse: “Que o Senhor te castigue”!” (São Judas 1,9)
- “Travou-se então uma batalha no Céu: Miguel e os seus Anjos guerrearam contra o Dragão.” (Apocalipse 12,7)

PROVÉRBIOS DE S. MIGUEL
O dia de S. Miguel tem uma presença marcante no adagiário português, já que tem a ver tradicionalmente com os ciclos agro-pastoris. Com efeito era pelo S. Miguel que os lavradores ajustavam anualmente os criados efectivos. Respigámos as seguintes sentenças:
- Chovendo no S. Miguel, faz conta das ovelhas que os borregos são teus.
- Em 29, S. Miguel fecha as asas.
- O São Miguel ou seca as fontes ou leva açudes e pontes.
- Pelo S. Miguel, estão as uvas como mel.
- Pelo S. Miguel dá-se as figueiras ao rabisco
- Quem planta no S. Miguel, vai à horta quando quer.
- Quem se aluga no S. Miguel, não se senta quando quer.
- S. João e S. Miguel passados, tanto manda o amo como o criado.
- S. Miguel passado, todo o amo é mandado.
- S. Miguel soalheiro, enche o celeiro.
- S. Miguel das uvas, tanto tardas e tão pouco duras!
- S. Miguel passado, tanto manda o amo como o criado.
- Se houvesse dois S. Miguéis no ano, não havia moço que parasse no amo.
- Vai-te com Deus e S. Miguel com as almas.

BIBLIOGRAFIA
- [1]-Bíblia Católica Online (http://www.bibliacatolica.com.br/)
- [2] – DELICADO, António. Adagios portuguezes reduzidos a lugares communs / pello lecenciado Antonio Delicado, Prior da Parrochial Igreja de Nossa Senhora da charidade, termo da cidade de Euora. Officina de Domingos Lopes Rosa. Lisboa, 1651.
- [3] - Enciclopédia Católica Popular (http://www.ecclesia.pt/catolicopedia/)
- [4] - Inventário Artístico da Arquidiocese de Évora (http://www.inventarioaevora.com.pt/)
- [5] - MARQUES DA COSTA, José Ricardo. O Livro dos Provérbios Portugueses. Editorial Presença. Lisboa, 1999.
- [6] - Santos da Igreja (http://www.portal.ecclesia.pt/ecclesiaout/liturgia/liturgia_site/santos/santos_users.asp)
- [7] - Wikipédia (http:// www.wikipedia.org/)