quinta-feira, 10 de junho de 2010

Junho, mês das colheitas


JÚPITER E JUNO - obra do pintor barroco Annibale Carracci (1560-1609),
pintada em 1597 , Galeria Farnese, Roma.

O mês de Junho entronca a sua designação na deusa romana Juno (Hera na mitologia grega), rainha dos deuses, mulher de Júpiter, deus romano do dia, identificado como Zeus, na mitologia grega.
Junho tem 30 dias e é o sexto mês do calendário gregoriano, utilizado na maior parte do mundo e que foi promulgado pelo Papa Gregório XIII a 24 de Fevereiro do ano 1582, para substituir o calendário juliano.
Em 21 de Junho ou próximo a esse dia, o Sol atinge o ponto mais ao norte na sua trajectória pelo céu.
É o solstício de Verão, momento em que o Sol, no seu movimento aparente na esfera celeste, atinge a maior declinação em latitude, medida a partir da linha do equador. A duração do dia é então a mais longa do ano.
No Hemisfério Norte o solstício de Verão ocorre cerca do dia 21 de Junho e o solstício de Inverno por volta do dia 21 de Dezembro. Estas datas marcam, respectivamente o início do Verão e do Inverno no Hemisfério Norte. O dia e hora exactos variam de um ano para outro.
Tal como no solstício de Verão a duração do dia é a mais longa do ano, também no solstício de Inverno, a duração da noite é a mais longa do ano.
No Hemisfério Sul, o fenómeno é simétrico: o solstício de Verão ocorre em Dezembro e o solstício de Inverno ocorre em Junho. Os momentos exactos dos solstícios, que assinalam também as mudanças de estação, são determinados mediante cálculos astronómicos.
Os Signos do Zodíaco que correspondem ao mês de Junho são:
- Gémeos (21 de Maio - 20 de Junho)
- Caranguejo (21 de Junho - 21 de Julho)
Como noutros meses há datas especiais a assinalar. Temos Dias Internacionais (ONU):
- 4 Junho - Dia Internacional das Crianças Inocentes Vítimas de Agressão
- 5 Junho - Dia Mundial do Ambiente (Programa das Nações Unidas para o Ambiente)
- 17 Junho - Dia Mundial do Combate à Seca e Desertificação
- 20 Junho - Dia Mundial dos Refugiados
- 26 Junho - Dia Internacional Contra o Abuso e Tráfico de Droga
- 26 Junho - Dia Internacional das Nações Unidas de Apoio às Vítimas de Tortura
Temos também datas patrióticas (Portugal):
- 10 de Junho – Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portugusas
Há igualmente um calendário litúrgico (Igreja Católica):
- 3 de Junho - Dia do Corpo de Deus
- 13 de Junho - Dia de Santo António
- 24 de Junho - Dia de São João
- 29 de Junho - Dia de São Pedro
Tradicionalmente os provérbios de Junho são o reflexo do calendário agrícola do mês:
- Água de S. João tira o vinho e não dá pão.
- As cerejas são alegres à vista e tristes ao coração.
- Até S. Pedro, há o vinho medo.
- Cerejas e más fadas, cuidais tomar poucas e vêm dobradas.
- Dia de S. Barnabé, secca-se a palha pelo pé.
- Dia de S. Pedro, tapa o rego.
- Dia de S. Pedro, vê o teu olivedo; e, se vires um grão, espera por cento.
- Em Junho, foice em punho.
- Favas das mais caras, cerejas das mais baratas.
- Favas, as primeiras; cerejas, as últimas.
- Feno, alto ou baixo, em Junho é segado.
- Junho, Julho e Agosto, senhora não sou vosso.
- Lavra pelo São João se queres ter palha e pão.
- Lavra pelo São João, se queres haver pão.
- O milho, pelo São João, deve cobrir um cão.
- Pelo São João, foice na mão.
- Pelo São Pedro vai ao arvoredo; se vires uma, conta um cento.
- Quando Jesus se encontra com João, até as pedras dão pão.
- Quando o troque troqueleja, já a cereja vermelheja.
- Quando se junta Jesus com João, em cima de pedra dá pão.
- Quem em Junho não descansa, enche a bolsa e farta a pança.
- Quem quiser bom melão, semeia-o na manhã de São João.
- Se queres ter pão, lavra pelo São João.

7 comentários:

  1. Parabéns pelo trabalho de pesquisa aqui demonstrado. Desde logo parece-me que Júpiter e Juno se preparavam para uma "grande colheita".Digo eu...
    Confesso-lhe uma coisa. Posso? Então eu digo: quando "corri" para o seu blogue vinha à espera de encontrar mais umas daquelas descrições deliciosas do modo como eram feitas as colheitas nos campos do nosso Alentejo quando este ainda era o celeiro da nação e não a "tarefa de azeite espanhol" em que o estão a transformar a troco de uns trocados generosos e imediatos mas cujas consequências para os nossos solos parecem ainda não estar muito clarificadas.
    No entanto gostei. Gostei muito.
    Parabéns e continue meu bom amigo.
    Aquele abração do tamanho da nossa amizade.

    ResponderEliminar
  2. Caro amigo:
    Eu já publiquei os posts:
    CICLO DO PÃO NA LITERATURA ORAL ( 1 - A LAVRA)
    CICLO DO PÃO NA LITERATURA ORAL ( 2 - A SEMENTEIRA)
    CICLO DO PÃO NA LITERATURA ORAL ( 3 - A MONDA)

    Faltam:

    CICLO DO PÃO NA LITERATURA ORAL ( 4 - A CEIFA)
    CICLO DO PÃO NA LITERATURA ORAL ( 5 - O ACARRETO)
    CICLO DO PÃO NA LITERATURA ORAL ( 6 - A DEBULHA)
    CICLO DO PÃO NA LITERATURA ORAL ( 7 - A MOAGEM)
    CICLO DO PÃO NA LITERATURA ORAL ( 8 - O FABRICO Do PÃO)

    A seu tempo lá iremos:

    Um abraço:

    Hernâni

    ResponderEliminar
  3. obrigada...aprendi e deliciei-me com os provérbios!

    ResponderEliminar
  4. Gostei muito. E vejamos, não conhecia todos estes provérbios... Só tenho pena que não haja nenhum relativo às cerejas... Le temps des cerises... ! Tão bom!
    Obrigada e, por favor, continue a deliciar-nos !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fernanda:
      Muito obrigado pela pertinente observação que veio valorizar o post.Tem toda a razão. É uma falha imperdoável que já corrigi, tanto mais que sou um comedor impenitente de cerejas.
      Um abraço.

      Eliminar
  5. Como sempre um texto brilhante e de rigor investigativo . Texto gratificante e tb perturbador. A natureza pujante renova -se em cada estação e, nós os humanos , parece que paralisamos em cada ciclo . Não consegui deixar de ler este Post sem pensar na situação exangue deste País !

    ResponderEliminar