terça-feira, 27 de dezembro de 2016

61 - O aguadeiro - 11


Aguadeiro.
Sabina Santos (1921-2005).
Colecção particular.

Figurado de Estremoz – 2 (2ª Parte)
À frente do homem, um burro cinzento de tom variável (AP, MC, LC, SS, IC, IF) ou castanho de tom igualmente variável (MLC, JM), com manchas negras ou simplesmente castanho (QM), que estando a marchar para o esquerdo do observador, apresenta a cauda, comprida e com linhas incisas, viradas para o lado do observador (JM) ou para o lado contrário (AP, MC, LC, SS, MLC, IC, IF, QM).
À excepção de QM, cujo asno não apresenta cascos, todos os outros exemplares (AP, MC, LC, SS, JM, MLC, IC, IF) ostentam cascos pintados a preto e que num dos casos (AP) fazem lembrar sapatinhos.
Na cabeça aparecem linhas que representam a cabeçada que cinge a cabeça e o focinho da cavalgadura, bem como as rédeas para a condução da mesma e que numa representação ingénua e simplificadora, passam por debaixo da albarda, supostamente em direcção à mão do aguadeiro, que está apoiada no quadrúpede. Tais linhas são negras (AP), castanhas em tom variável (MC, JM, SS, MLC, IF) ou cor de zarcão (LC e SS). Um exemplar apresenta cabeçada com volumetria e a castanho, embora esteja implícito que as rédeas passem por debaixo da albarda (IC). Noutro exemplar (QM) e a castanho, a cabeçada apresenta volumetria, tal com as rédeas assentes na manta.
No lombo do asinino está assente uma manta rectangular castanha de tonalidade variável, na qual se apoia uma albarda, igualmente castanha, ornamentada com borlas pintadas de cor azul (AP), verde e vermelho (MC, LC, JM, MLC), preto (SS) ou vermelhas, alternadas com faixas brancas (IF). Num exemplar não existe manta nem albarda (QM) e noutro (IC) não existe albarda e a cangalha assenta directamente sobre a manta.
Sobre a albarda está disposta uma cangalha de tonalidade amarela (AP) ou castanha (MC, LC, JM, SS, IC, MLC, IF). Contudo um dos exemplares (QM) não ostenta cangalhas. Em sua substituição, observa-se aquilo que parece configurar duas golpelhas (alcofas grandes de esparto), de cor castanho-claro, assentes paralelamente no lombo do quadrúpede e cada uma delas, pendendo para qualquer dos lados.
Nas cangalhas e nas golpelhas estão alojados de cada lado do jumento, dois cântaros com tampa, de cor prateada configurando folha metálica e com uma asa constituída por um porção arqueada de arame (AP, MC, LC, JM, SS, MLC, IC). Porém, dois exemplares apresentam asas em barro (QM e IF), o que no segundo caso constituiu uma situação pontual.
O binómio homem-animal assenta numa base trapezoidal de cor verde, pintalgada de branco, amarelo e zarcão e pintada lateralmente desta mesma cor (AP, MC, LC, JM, SS, MLC, IF). Todavia, pode ser integralmente verde (IC) ou verde, pintada lateralmente de zarcão, ainda que rectangular com as extremidades arredondadas (QM). A base trapezoidal pode apresentar os quatro cantos cortados em bisel (SS, IC).