sexta-feira, 14 de outubro de 2016

57 - O aguadeiro – 7


Aguadeiro (Anos 30 do séc. XX).
Ana das Peles [Ana Rita da Silva (1870-1945)].
Museu Nacional de Etnologia.

Figurado de Estremoz - 1
No núcleo base do figurado de Estremoz existe um exemplar conhecido por “Aguadeiro”, criado na Escola Industrial António Augusto Gonçalves, nos anos 30 do séc. XX, executado por Ana das Peles e Mariano da Conceição e a partir daí, manufacturado pelos barristas que se lhesseguiram. Trata-se de um conjunto constituído por uma figura antropomórfica masculina (o aguadeiro) e uma figura zoomórfica (o burro).
Merece especial descrição, o espécimen de Ana das Peles, pertencente à colecção do Museu Nacional de Etnologia. Representa um aguadeiro trajando à maneira de meados do séc. XX, com a mão esquerda apoiada no burro e a mão direita empunhando uma vara de condução do animal. Na cabeça, dois pontos negros representam os olhos, encimados por dois traços castanhos que figuram as pestanas e as sobrancelhas. O nariz em relevo, tem a forma de prisma triangular e a boca é interpretada por uma linha vermelha. Em cada uma das faces é visível uma roseta alaranjada. O cabelo é castanho-escuro e encobre as orelhas. Na cabeça, um chapéu negro com copa semi-esférica e aba circular, larga e revirada lateralmente. A figura enverga calças e samarra de cor castanha, com gola azul em relevo e guarnecida com orla da mesma cor, nos punhos e na abertura da frente, a qual ostenta de cada lado, um par de botões semi-esféricos, cor de latão. A samarra apresenta ainda nos punhos, dois botões pintados a azul. Os botins são castanhos.
À frente do homem, um burro cinzento-escuro e com manchas negras, que estando a marchar para o lado direito do observador, apresenta a cauda, comprida e com linhas incisas, viradas para o lado contrário. O pescoço apresenta em cada um dos lados, uma série de incisões pintadas a negro que representam a crina. Na cabeça, são visíveis duas orelhas cónicas, dois olhos pintados, uma linha incisa de cor vermelha que figura a boca e dois pontos incisos que lhe são paralelos, representando as narinas. Na cabeça aparece linhas de cor negra que representam a cabeçada que cinge a cabeça e o focinho da cavalgadura, bem como as rédeas para a condução da mesma. No lombo do asinino está assente uma manta rectangular castanha, na qual se apoia uma albarda, igualmente castanha, pintalgada de azul. Sobre a albarda está disposta uma cangalha de tonalidade amarela, figurando madeira. Nesta armação estão alojados de cada lado do jumento, dois cântaros com tampa, de cor prateada configurando folha metálica e com uma asa constituída por um porção arqueada de arame.
O binómio homem-animal assenta numa base trapezoidal de cor verde, pintalgada de branco, amarelo e zarcão e pintada lateralmente desta mesma cor.
Hernâni Matos