quinta-feira, 12 de agosto de 2010

O vinho na tradição bíblica

BODAS DE CANÁ - Fresco de Giotto di Bondone (1267-1337), executado em 1302-05 na Cappela Scrovegni, em Pádua.

O SIMBOLISMO DO VINHO

Na Bíblia são múltiplas as referências ao vinho, o qual surge nos diversos livros sagrados com simbolismos diferentes.
Por um lado, o vinho é sinal e símbolo de alegria:
- e o vinho que alegra o coração do homem, o óleo que lhe faz brilhar o rosto e o pão que lhe sustenta as forças. (Salmos 104:15)
- Ora, pois, come alegremente teu pão e bebe contente teu vinho, porque Deus já apreciou teus trabalhos. (Eclesiates 9:7)
É também símbolo de todas as dádivas que Deus fez aos homens:
- Deus te dê o orvalho do céu e a gordura da terra, uma abundância de trigo e de vinho! (Génesis 27:28)
Nas religiões vizinhas de Israel, o vinho é bebida dos deuses:
- Dirá: onde estão os seus deuses, o rochedo em que confiavam, (Deuterenómio 32:37) que comiam a gordura dos seus sacrifícios e bebiam, o vinho das suas libações?
- Levantem-se para vos socorrer; sejam eles vosso abrigo! (Deuterenómio 32:38)
Daí que Israel lhe tenha reconhecido um valor sagrado, onde tem o seu lugar nos sacrifícios de culto:
- Com o primeiro cordeiro oferecerás a décima parte de um efá de flor de farinha amassada com um quarto de hin de óleo de olivas esmagadas, e como libação um quarto de hin de vinho. (Êxodo 29:40)
Paralelamente, atenda-se ao sacrifício sangrento da aliança:
- Enviou jovens dentre os israelitas, os quais ofereceram holocaustos e sacrifícios ao Senhor e imolaram touros em sacrifícios pacíficos. (Êxodo 24:5).
- Moisés tomou a metade do sangue para metê-lo em bacias, e derramou a outra metade sobre o altar. (Êxodo 24:6)
- Tomou o livro da aliança e o leu ao povo, que respondeu: "Faremos tudo o que o Senhor disse e seremos obedientes." (Êxodo 24:7)
- Moisés tomou o sangue para aspergir com ele o povo: "Eis, disse ele, o sangue da aliança que o Senhor fez convosco, conforme tudo o que foi dito." (Êxodo 24:8)
E atenda-se também que o vinho é declarado como o sangue das uvas:
- Amarra à videira o jumentinho, à cepa o filho da jumenta. Lava com o vinho suas vestes, com o sangue das uvas o seu manto. (Génesis 49:11)
- A manteiga das vacas, o leite das ovelhas, a carne gorda dos cordeiros, dos carneiros de Basã e dos cabritos, com a fina flor do trigo. E bebeste como vinho puro o sangue das uvas (Deuteronómio 32:14)
Desde o êxodo, o sangue terá sido substituído pelo vinho nos sacrifícios. O vinho simboliza assim o sangue e o sacrifício.

AS BODAS DE CANÁ

No vinho podemos ver um símbolo eucarístico, quando Jesus transforma a água em vinho nas bodas de Caná (João, 2):
- Três dias depois, celebravam-se bodas em Caná da Galiléia, e achava-se ali a mãe de Jesus. (João 2:1)
- Também foram convidados Jesus e os seus discípulos. (João 2:2)
- Como viesse a faltar vinho, a mãe de Jesus disse-lhe: Eles já não têm vinho. (João 2:3)
- Respondeu-lhe Jesus: Mulher, isso compete a nós? Minha hora ainda não chegou. (João 2:4)
- Disse, então, sua mãe aos serventes: Fazei o que ele vos disser. (João 2:5)
- Ora, achavam-se ali seis talhas de pedra para as purificações dos judeus, que continham cada qual duas ou três medidas. (João 2:6)
- Jesus ordena-lhes: Enchei as talhas de água. Eles encheram-nas até em cima. (João 2:7)
- Tirai agora , disse-lhes Jesus, e levai ao chefe dos serventes. E levaram. (João 2:8)
- Logo que o chefe dos serventes provou da água tornada vinho, não sabendo de onde era {se bem que o soubessem os serventes, pois tinham tirado a água}, chamou o noivo (João 2:9)
- e disse-lhe: É costume servir primeiro o vinho bom e, depois, quando os convidados já estão quase embriagados, servir o menos bom. Mas tu guardaste o vinho melhor até agora. (João 2:10)
- Este foi o primeiro milagre de Jesus; realizou-o em Caná da Galiléia. Manifestou a sua glória, e os seus discípulos creram nele. (João 2:11)
0
A ÚLTIMA CEIA

Convém recordar a última ceia, recorrendo a Marcos:
- Durante a refeição, Jesus tomou o pão e, depois de o benzer, partiu-o e deu-lho, dizendo: Tomai, isto é o meu corpo. (Marcos 14:22)
- Em seguida, tomou o cálice, deu graças e apresentou-lho, e todos dele beberam. (Marcos 14:23)
- E disse-lhes: Isto é o meu sangue, o sangue da aliança, que é derramado por muitos. (Marcos 14:24)
- Em verdade vos digo: já não beberei do fruto da videira, até aquele dia em que o beberei de novo no Reino de Deus. (Marcos 14:25)
Observe-se outro simbolismo do vinho expresso na afirmação. “E disse-lhes: Isto é o meu sangue, o sangue da aliança, que é derramado por muitos”. (Marcos 14:24).
Para os cristãos, a Última Ceia foi a primeira Eucaristia ou Comunhão.

A CONDENAÇÃO DA BEBEDEIRA

O consumo exagerado de vinho conduz à bebedeira, que a Bíblia condena conforme nos diz o apóstolo Paulo:
- Ora, as obras da carne são estas: fornicação, impureza, libertinagem, (Gálatas 5:19).
- idolatria, superstição, inimizades, brigas, ciúmes, ódio, ambição, discórdias, partidos, (Gálatas 5:20).
- invejas, bebedeiras, orgias e outras coisas semelhantes. Dessas coisas vos previno, como já vos preveni: os que as praticarem não herdarão o Reino de Deus! (Gálatas 5:21).
É o mesmo apóstolo Paulo que proclama:
- Ao contrário, o fruto do Espírito é caridade, alegria, paz, paciência, afabilidade, bondade, fidelidade, (Gálatas 5:22).
- brandura, temperança. Contra estas coisas não há lei. (Gálatas 5:23).
São abundantes, de resto, as referências bíblicas à bebedeira e aos bêbados:
- Tendo bebido vinho, embriagou-se, e apareceu nu no meio de sua tenda. (Génesis 9:21)
- e lhes dirão: este nosso filho é indócil e rebelde; não nos ouve, e vive na embriaguez e na dissolução. (Deuteronómio 21:20)
- Quando Abigail chegou à casa de Nabal, havia em sua casa um grande banquete, um verdadeiro festim de rei. Nabal tinha o coração alegre e estava completamente ébrio. Por isso nada lhe disse, nem pouco nem muito, até ao amanhecer. (1 Samuel 25:36)
- andam às apalpadelas nas trevas, sem luz; tropeçam como um embriagado. (Jó 12:25)
- Falam de mim os que se assentam às portas da cidade, escarnecem-me os que bebem vinho. (Salmos 69:12)
- Titubeavam e cambaleavam como ébrios, e toda a sua perícia se esvaiu. (Salmos 107:27)
- pois o ébrio e o glutão se empobrecem e a sonolência veste-se com andrajos. (Provérbios 23:21)
- Um espinho que cai na mão de um embriagado: tal é uma sentença na boca dos insensatos. (Provérbios 26:9)
- Um arqueiro que fere a todos: tal é aquele que emprega um tolo ou um embriagado. (Provérbios 26:10)
- O Senhor difundiu entre eles um espírito de vertigem, e eles vagueiam por todo o Egito sem desígnio certo, como um bêbado que cambaleia em seu vômito. (Isaías 19:14)
- cambaleia como um homem embriagado e balança como uma rede. Seus crimes pesam sobre ela, e ela cairá para não mais se levantar. (Isaías 24:20)
- Ai da coroa pretensiosa dos embriagados de Efraim e da flor murcha que faz ostentação de seu ornato, dominando o vale fértil de homens vencidos pelo vinho. (Isaías 28:1)
- Será pisada aos pés a coroa pretensiosa dos embriagados de Efraim,. (Isaías 28:3)
- Pasmai-vos e maravilhai-vos, obstinai-vos, feridos de cegueira, embriagai-vos, mas não de vinho, cambaleai, mas não por causa da bebida. (Isaías 29:9)
- Aos profetas. Parte-se dentro de mim o coração, e se me abalaram todos os ossos. Assemelho-me a um ébrio, qual homem prostrado pelo vinho, por causa do Senhor e de sua palavra santa. (Jeremias 23:9)
- ouvia-se o barulho de uma multidão satisfeita; a essa massa de homens se juntavam os bêbados do deserto, que metiam braceletes nas mãos {das duas irmãs} e coroas esplêndidas em suas cabeças. (Ezequiel 23:42)
- Despertai, ó ébrios, e chorai; bebedores de vinho, lamentai-vos, porque o suco da vinha foi tirado da vossa boca! (Joel 1:5)
- Porque, entrelaçados como espinheiros, ébrios do seu vinho, serão consumidos como a palha seca. (Naum 1:10)
- Meu senhor tarda a vir, e se põe a bater em seus companheiros e a comer e a beber com os ébrios, (Mateus 24:49)
- nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os difamadores, nem os assaltantes hão de possuir o Reino de Deus. (1 Coríntios 6:10)

GULA E TEMPERANÇA
0
O consumo imoderado de vinho é fruto da gula, desejo insaciável de comida ou bebida, para além do necessário.
Para o cristianismo a gula constitui um dos Sete Pecados Capitais (Vaidade, Inveja, Ira, Preguiça, Avareza, Gula, Luxúria), directamente opostos às Sete Virtudes (Humildade, Caridade, Paciência, Diligência, Generosidade, Temperança, Castidade), que pregam o oposto aos Sete Pecados Capitais e são apontadas como salvação aos pecadores.
Segundo a Doutrina da Igreja Católica Apostólica Romana todas as virtudes humanas são polarizadas por quatro Virtudes Cardeais (Prudência, Justiça, Fortaleza, Temperança).
A Temperança é a Virtude Cardeal oposta à Gula. É a Temperança que modera a atracção dos prazeres, assegura o domínio da vontade sobre os instintos e proporciona o equilíbrio no uso dos bens temporais. É pela Temperança que usamos com moderação os bens temporais na hora certa, no tempo certo e na quantidade adequada, quer eles sejam comida, bebida, sono, diversão, sexo, etc.
o
BIBLIOGRAFIA
0
- Bíblia Sagrada
- Catecismo da Igreja Católica
- CHEVALIER, Jean e GHEERBRANT, Alain. Dicionário dos Símbolos.
- CIRLOT, Juan Eduardo. Dicionário de Símbolos.
- ELÍADE, Mirceia. Tratado de História das Religiões.


A ÚLTIMA CEIA – Pintura de técnica mista com predominância da têmpera e óleo sobre duas camadas de preparação de gesso aplicadas sobre reboco. Executada em 1495 - 1497, por Leonardo da Vinci (1452–1519) no Refeitório de Santa Maria delle Grazie, em Milão.

OS SETE PECADOS MORTAIS (Pormenor: GULA) - Pintura do flamengo Hieronymus Bosch (1450 – 1516), executada em 1480, existente no Museu do Prado, em Madrid. Uma mesa repleta de comida e junto a ela um homem sentado que come com avidez e um rapaz que bebe com sofreguidão. Uma mulher prepara-se para servir mais comida, enquanto mais está ser confeccionada. Uma criança que defeca na própria roupa, implora ao pai que lhe dê mais.

A TEMPERANÇA – Fresco de Luca Giordano (1634 -1705), executado em 1684-1686 na Galeria do Palácio Medici-Riccardi em Florença.