domingo, 26 de Junho de 2011

O pão na gíria popular

  AS PADEIRAS (MERCADO DE FIGUEIRÓ DOS VINHOS - 1898)
José Malhoa (1855-1933)
Óleo sobre tela (45 x 54 cm)
Colecção Particular


Esta colectânea de “dizeres” sobre o pão, fruto da nossa pesquisa em onze fontes bibliográficas distintas, mostra mais uma vez a riqueza e a vitalidade da língua portuguesa:

- Amassar-se o pão com o suor do rosto = Trabalhar no duro para ganhar a subsistência [8]
- Comer o pão alheio = Viver à custa de outra pessoa [7]
- Estar no seu pão pingado = Sentir-se muito feliz, radiante [7]
- Fazer o pão caro = Diz-se de pessoa de idade muito avançada [7]
- Fazer pão grande = Não trabalhar por indolência [7]
- Ganhar o pão com o suor do seu rosto = Ganhar a vida com o trabalho próprio [7]
- Não ver o padeiro = Não ter relações sexuais [6]
- O pão-nosso-de-cada-dia = O sustento diário = A vida quotidiana [7]
- Padaria = Nádegas = Rabo [6]
- Padeiro = O diabo [1]
- Padeiro = Oficial de Administração Militar [4]
- Panzaria = Muitos pães (Alentejo) [11]
- Pão = Homem ou mulher bela [4]
- Pão = Indivíduo ridículo = Imbecil [1]
- Pão = Pão de centeio (Aguiar da Beira) [10]
- Pão = Murro = Soco [4]
- Pão alvo = Pão de trigo de farinha muito espuada [8]
- Pão ázimo = Pão não fermentado comido na Páscoa judaica [8]
- Pão com rosca = Casal ou amigos inseparáveis [7]
- Pão com rosca = Marido e mulher [1]
- Pão de cada dia = O sustento quotidiano [8]
- Pão de casa = Pão de amassadura doméstica [9]
- Pão de forma = Carrinha tipo furgão de caixa fechada com o formato característico deste pão [4]
- Pão de ló = Pão muito fofo de farinha de trigo, ovos e açúcar [8]
- Pão de milho = Pão fabricado com farinha de milho [8]
- Pão de quatro = Pão seccionado usado na Covilhã [8]
- Pão de rala = Pão grosseiro de que se extrai pouco farelo [8]
- Pão de sabuja = Pão que não tem mistura (Trás-os Montes) [2]
- Pão de segunda = Pão de trigo escuro [8]
- Pão de sêmea = Pão de trigo escuro [8]
- Pão de trigo da terra = Pão feito de farinha de trigo de produção madeirense [9]
- Pão do espírito = A instrução [8]
- Pão francês = Pão alvo = Pão de trigo [11]
- Pão meado = Mistura de milho e centeio (Beira) [8]
- Pão nas costas = Corcunda (Sabugal-Beira Alta) [5]
- Pão para peras = Dificuldades = Aflições = Atribulações [7]
- Pão para quatro = Morteiro pesado [3]
- Pão pingado = Bel-prazer (Alentejo) [11]
- Pão por Deus = Dádiva de frutas, pão e doces, feita às crianças que no dia de Todos-os-Santos andavam de saquitel ao pescoço [9]
- Pão por Deus = Esmola dada por toda a gente, no dia de Todos-os-Santos, sob a forma de pão ou fruta, etc., prIncipalmente à pequenada do povo (Porto de Mós, Alcanede) [10]
- Pão quartado = pão fabricado com quatro farinhas (trigo, milho, centeio e cevada) [8]
- Pão saloio = Pão fabricado com farinha de trigo durázio, cultivado nos arredores de Lisboa [8]
- Pão seco = Pão sem qualquer conduto [7]
- Pão sem sal = Diz-se de pessoa sensaborona, apática, abúlica [7]
- Pão, pão, queijo, queijo = com clareza e franqueza, sem deixar margem a subterfúgios ou ambiguidades [7]
- Pão-de-ló = Indivíduo efeminado [8]
- Pão-sabudo e matação = Quantidade exacta de cereal a ser paga pelos rendeiros [8]
- Pãozeiro = Indivíduo que gosta muito de pão [2].
- Pãozinho = Estudante elegante = Paposseco (Coimbra) [3]
- Pãozinho = Homem pouco esperto [3]
- Pãozinho = Indivíduo ridículo = Imbecil [1]
- Pãozinho sem sal = Diz-se de pessoa sensaborona, apática, abúlica [7]
- Pãozinho sem sal = Pessoa débil de carácter abúlico [4]
- Pãozinho sem sal = Pessoa sem carácter, incapaz de tomar uma decisão, de afirmar a sua personalidade [6]
- Perder o pão = Perder o emprego [7]
- Ser o meu, teu, etc. pão pingado = Ser aquilo de que uma pessoa mais gosta [7]
- Ser pão-duro = Ser avarento
- Terra de pão = Terra que produz cereais [7]
- Tirar o pão (da boca) a/de alguém = Privar uma pessoa de subsistência [7]
- Vender-se como pão quente = Ter grande saída [7]

BIBLIOGRAFIA
[1] - BESSA, Alberto. A Gíria Portugueza. Gomes de Carvalho-Editor. Lisboa, 1901.
[2] - FIGUEIREDO, Cândido de. Novo Dicionário de Língua Portuguesa. (2 vol.). Editora Portugal-Brasil Limitada, 1922.
[3] – LAPA. Albino. Dicionário de Calão. Edição do Autor. Lisboa, 1959.
[4] – NOBRE, Eduardo. Dicionário de Calão. Publicações Dom Quixote. Lisboa, 1986.
[5] – PINHEIRO CHAGAS, Manuel. A História Alegre de Portugal. Companhia Nacional Editora. Lisboa, 1890.
[6] – PRAÇA, Afonso. Novo Dicionário de Calão. Editorial Notícias. Lisboa, 2001.
[7] – SANTOS, António Nogueira. Novos dicionários de expressões idiomáticas. Edições João Sá da Costa. Lisboa, 1990.
[8] – SIMÕES, Guilherme Augusto. Dicionário de Expressões Populares Portuguesas. Publicações Dom Quixote. Lisboa, 1993.
[9] – SOUSA. Luís de. Dizeres da Ilha da Madeira. Palavras e Locuções. Edição do autor. Funchal, 1950.
[10] - TAVARES DA SILVA, D. A. Esboço Dum Vocabulário Agrícola Regional. Separata dos Anais do Instituto Superior de Agronomia, Vol. XI. Lisboa, 1942.
[11] – THOMAZ PIRES, A. Vocabulário alemtejano. Editor – António José Torres de Carvalho. Elvas, 1913.

1 comentário:

  1. Uma outra expressão: Comer o pão que o Diabo amassou (passar por dificuldades)

    ResponderEliminar